Política

‘O povo brasileiro acertou em eleger o anti-PT’, avalia Imbassahy 

Ainda de acordo com o tucano, que não conseguiu se reeleger, não há abatimento pela derrota

[‘O povo brasileiro acertou em eleger o anti-PT’, avalia Imbassahy ]
Foto : Tácio Moreira / Metropress

Por Alexandre Galvão / Rodrigo Daniel Silva no dia 09 de Novembro de 2018 ⋅ 08:22

Deputado federal e ex-prefeito de Salvador, Antonio Imbassahy (PSDB) avaliou que o “povo brasileiro acertou em eleger o anti-PT”. “O povo brasileiro acertou em eleger o anti-PT, o Jair Bolsonaro. Espero que ele possa fazer um grande governo. A nossa obrigação, inclusive, de quem tá na oposição é ajudar fazer uma oposição crítica. Temos que construir uma sociedade melhor", afirmou, em entrevista a Mário Kertész, na Rádio Metrópole

Ainda de acordo com o tucano, que não conseguiu se reeleger, não há abatimento pela derrota. “Procuro agora ter uma presença maior na Bahia, até porque como deputado federal, por ter sido líder do PSDB por duas vezes, e ter protagonismo no cenário nacional, acabei ficando distanciado um pouco do nosso estado. Isso pode ter prejudicado um pouco. Vou aproveitar agora para ficar um pouco mais na Bahia, sem perder de vista a perspectiva de contribuir no cenário nacional", apontou. 

O deputado poupou críticas à campanha do correligionário Geraldo Alckmin. “Analisando depois fica até mais fácil. É ser engenheiro de obra pronta. Mas havia uma propósito do brasileiro de fazer mudança. E nos últimos dias, antecipando as eleições, essa vontade foi crescendo. Aconteceu essa renovação extraordinária. Eu até acho que a renovação que não seria tão grande assim. A renovação foi espetacular".

Imbassahy negou, porém, que o governador eleito de São Paulo, João Doria, tenha traído do ex-governador o Estado. “Eu discordo um pouco. Na verdade, quando Doria foi eleito prefeito. [...] começou a encantar e entusiasmou o Brasil com um sopro de renovação. João Doria tinha a perspectiva de derrotar o PT. Ao fim e ao cabo, ele não saiu candidato [a presidente] e apoio o Geraldo Alckmin. A gente percebia que dentro de São Paulo já tinha dificuldade. Tanto que o Geraldo não teve o sucesso no estado que ele governou por quatro vezes. Era mesmo aquela sensação de renovação".

Notícias relacionadas