Política

Deputado admite ter comprado base ilegal de contatos para campanha via WhatsApp

De acordo com Laudívio Carvalho, a agência fez um disparo de mensagens para 40 mil números de telefone

[Deputado admite ter comprado base ilegal de contatos para campanha via WhatsApp]
Foto : Luis Macedo/Câmara dos Deputados

Por Marina Hortélio no dia 13 de Novembro de 2018 ⋅ 18:20

O deputado federal Laudívio Carvalho (Podemos-MG) admitiu que a sua campanha utilizou dados de 40 mil pessoas cedidos por uma agência de marketing digital para fazer disparos de mensagens via WhatsApp durante as eleições deste ano, informou o UOL.

O parlamentar concorreu a reeleição, mas conseguiu apenas uma vaga como suplente. De acordo com ele, a empresa contratada foi a Quick Mobile, com sede em Belo Horizonte, uma das companhias investigadas por suposta participação em esquema bancado de envio de mensagens via WhatsApp com conteúdo anti-PT.

Segundo dados da Justiça Eleitoral, Laudívio pagou R$ 3.080 pelos serviços de marketing digital. De acordo com o parlamentar, a agência fez um disparo de mensagens via WhatsApp para 40 mil números de telefone celular que foram oferecidos à sua campanha pela Quick Mobile.

Notícias relacionadas