Política

Para novo ministro da Educação, golpe de 1964 é algo 'para lembrar e comemorar'

Ricardo Vélez Rodriguez acredita que os governos do PT agiram para "desmoralizar a memória dos nossos militares"

[Para novo ministro da Educação, golpe de 1964 é algo 'para lembrar e comemorar']
Foto : Reprodução / Facebook

Por Juliana Rodrigues no dia 23 de Novembro de 2018 ⋅ 08:20

Indicado ontem (22) pelo presidente eleito Jair Bolsonaro como futuro ministro da Educação, o colombiano Ricardo Vélez Rodriguez escreveu em seu blog um texto no qual classifica o dia 31 de março de 1964, que marca o golpe militar no Brasil, é "uma data para lembrar e comemorar".

Para ele, nos treze anos de governo do PT, houve um esforço coletivo para "desmoralizar a memória dos nossos militares e do governo por eles instaurado em 64". Vélez ainda ironiza a Comissão da Verdade, criada para esclarecer crimes cometidos pela repressão militar.

No texto, o futuro ministro diz que as "falhas" do regime foram em relação à política econômica, e menciona discretamente os atos de violência praticados pelo Estado contra civis ao afirmar que "houve excessos no que tange à repressão".

Notícias relacionadas