Política

‘Já gastei o meu estoque de ministros, não tenho mais’, diz Olavo de Carvalho

Ele afirmou ainda ter provas de uma "dominação comunista" no Brasil

[‘Já gastei o meu estoque de ministros, não tenho mais’, diz Olavo de Carvalho]
Foto : Reprodução / Youtube

Por Alexandre Galvão no dia 25 de Novembro de 2018 ⋅ 18:30

Responsável pela indicação dos ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, e o da Educação, Ricardo Vélez Rodríguez, o filósofo Olavo de Carvalho diz já ter usado todo seu "estoque" de ministros. 

"Já gastei o meu estoque de ministros, eu não tenho mais nenhum no bolso (risos). Infelizmente não tenho mais ninguém", afirmou, em entrevista ao Estadão. 

Ele afirmou ainda ter provas de uma "dominação comunista" no Brasil. 

"Hoje, na mídia, você não pode fazer uma piada que as pessoas entendem em sentido literal. Ou é sinal de doença mental ou de analfabetismo funcional, coisa boa não é. Estão todos assim, meu Deus do céu. O que aconteceu? Aconteceu 50 anos de propaganda comunista na orelha, sem o devido contraste para poder pensar. Outra coisa: só admite discussão padronizada, então você tem os progressistas de um lado e os conservadores do outro, essas duas linhas de pensamento, não admite as diferenças. Então para quê você precisa dos filósofos se você já tem as ideologias prontas? Vocês vêm me entrevistar e pensam 'esse aqui é o representante do pensamento conservador'. Pensamento conservador é a mãe deles. Eu tenho o meu pensamento, minha ideia, minha filosofia está registrada em livro. Por que não leem o livro para depois conversar comigo?". 

Olavo disse ainda que há "esncadalização" por Bolsonaro fazer um governo de direita. "É um governo de direita sem dúvida, mas a mídia inteira está escandalizada por haver um governo de direita. Isso quer dizer que não pode ter um governo de direita? Só pode ter de esquerda? E eles chamam isso de democracia? Há 20 anos disse: o PT não está disposto a suportar o rodízio de partidos no poder. Ele quer ficar para sempre. E toda a mídia é cúmplice nisso, porque eles não aceitam que haja um governo de direita".

Notícias relacionadas