Política

Haddad diz que alinhamento internacional de Trump e Bolsonaro é 'cego'

O petista também questionou a continência prestada por Bolsonaro ao assessor de Segurança Nacional dos EUA, John Bolton, em reunião ontem, no Rio de Janeiro

[Haddad diz que alinhamento internacional de Trump e Bolsonaro é 'cego']
Foto : Ricardo Stuckert/PT

Por Matheus Simoni no dia 30 de Novembro de 2018 ⋅ 10:20

Candidato derrotado à Presidência da República, Fernando Haddad (PT) afirmou que governo do presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), promove um alinhamento internacional cego à gestão do americano Donald Trump. A declaração foi feita ontem (29), durante uma discussão no “What went wrong when Brazil went right?” (“O que deu errado quando o Brasil foi para a direita”, em tradução livre), evento realizado no The People’s Forum, em Nova York.

O petista afirmou que a nova administração, "do ponto de vista das relações internacionais, promove um alinhamento cego à administração Trump, absolutamente cego, em todos os temas, seja a questão indígena, a questão ambiental ou a mudança da embaixada [brasileira] de Tel Aviv para Jerusalém".

"São governos que estão empurrando o mundo para a bipolaridade, que não aceitam o mundo multipolar por preconceito. Porque veem no mundo multipolar espaços para projetos emancipatórios, para projetos progressistas", declarou o ex-ministro da Educação.

Haddad também questionou a continência prestada por Bolsonaro ao assessor de Segurança Nacional dos EUA, John Bolton, em reunião ontem, no Rio de Janeiro. "Eu fico me perguntando se houve algum encontro desconhecido dos brasileiros entre o Trump e o Bolsonaro para combinar o jogo. Porque até o presente momento só o Bolsonaro diz o que vai fazer a favor dos EUA. Eu não ouvi, até agora, nenhum compromisso do Trump com o Brasil", afirmou.

Notícias relacionadas

[PF montou em um dia operação contra Bivar]
Política

PF montou em um dia operação contra Bivar

Por Alexandre Galvão no dia 15 de Outubro de 2019 ⋅ 11:00 em Política

Além da casa de Bivar no Recife e da sede do partido, estão entre os alvos endereços de três ex-candidatas do PSL