Política

Bolsonaro diz que vai acabar com 'capricho' de fiscais ambientais

Presidente eleito afirmou que licença ambiental atrapalha obras

[Bolsonaro diz que vai acabar com 'capricho' de fiscais ambientais]
Foto : Valter Campanato/Agência Brasil

Por Marina Hortélio no dia 13 de Dezembro de 2018 ⋅ 14:40

O presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), criticou, nas redes sociais, o que chama de "indústria da multa" ambiental. Ele afirmou que as multas são extorsivas e que há um "capricho" por parte de fiscais do Ibama, além de ter afirmado que a licença ambiental atrapalha a execução de obras de infraestrutura.

Bolsonaro disse que quer acabar com o ato tenente, que estabelece que a pesca é "todo ato tendente a retirar, extrair, coletar, apanhar, apreender ou capturar espécimes dos grupos dos peixes, crustáceos, moluscos e vegetais hidróbios, suscetíveis ou não de aproveitamento econômico, ressalvadas as espécies ameaçadas de extinção, constantes nas listas oficiais da fauna e da flora".

O próximo mandatário do Brasil ainda criticou as licenças ambientais. "Essa questão de licença ambiental atrapalha quando um prefeito, governador, presidente, quer fazer uma obra de infraestrutura, uma estrada, por exemplo, quer rasgar uma estrada, quer duplicar. São problemas infindáveis. Isso acontece muito na região amazônica".

Bolsonaro ainda criticou o Acordo de Paris, que foi assinado em 2015 por 195 países para conter o aquecimento global. No tratado, o Brasil assumiu o compromisso de cortar as emissões em 37% até 2025 e em 43% até 2030.

Notícias relacionadas