Política

Malassombrado justifica sumiço: 'fui agradecer pelo mandato, não avisei a ninguém e meu celular deu pane'

O vereador negou ainda que tivesse escrito uma carta de renúncia pouco antes de desaparecer

[Malassombrado justifica sumiço: 'fui agradecer pelo mandato, não avisei a ninguém e meu celular deu pane']
Foto : Matheus Simoni / Metropress

Por Daniel Brito no dia 12 de Fevereiro de 2019 ⋅ 18:42

Vereador de Salvador pelo DEM, Vado Malassombrado esclareceu hoje (12), em entrevista ao Jornal da Cidade Segunda Edição, da Rádio Metrópole, o motivo do seu desaparecimento em dezembro do ano passado. Ele contou que foi “agradecer” pelas conquistas em seu mandato, sem, no entanto, citar o local.

“Fui agradecer por ter chegado ao lugar onde cheguei que, na maioria das vezes, é ocupado por empresários. Nunca imaginaria que uma pessoa que morava em palafitas virasse vereador numa cidade complexa como Salvador. Numa segunda-feira, fui no local, porém não avisei a ninguém. Meu celular tinha dado pane”, disse. Na ocasião, o verador foi encontrado nas dunas da Lagoa do Abaeté, no bairro de Itapuã.

O edil negou ainda que tivesse escrito uma carta de renúncia pouco antes de desaparecer. “Foi especulação. Não condiz. Nunca pedi. Não poderia decepcionar os mais de 8 mil votos que as pessoas me deram. Algumas pessoas levam as informações de forma distorcida”, acrescentou.

Vado ainda atribuiu a sua ida ao hospital após ser encontrado à sua doença, o Diabetes: “Eu não sabia a gravidade que eu tinha, fazendo jejum. Então, meu açúcar subiu, mas, graças a Deus, consegui controlar, fui medicado, fiquei internado para justamente estabelecer o açúcar”, finalizou.

 

Notícias relacionadas