Política

Boca Quente: A falta do que fazer na AL-BA 

Coluna mostra ainda como se arrasta a regulamentação de aplicativos de carona paga

[Boca Quente: A falta do que fazer na AL-BA ]
Foto : Divulgação

Por Jornal da Metrópole no dia 14 de Março de 2019 ⋅ 10:20

Fogo ‘muy’ amigo
O presidente da UPB, Eures Ribeiro, não se faz de rogado quando quer reclamar de alguma área do governo Rui Costa. A nova vítima foi o secretário de Saúde do Estado, Fábio Vilas-Bôas, que foi acusado de não repassar os recursos da saúde com regularidade. 

Fome de leão
O anúncio do segundo escalão do governador Rui Costa esbarra nas vontades do vice-governador João Leão (PP). A fome, segundo aliados, está grande: além da poderosa Embasa, Leão quer também o Detran, que estava com o Podemos. Além disso, a turma de Bacelar cobra melhores posições. 

Gente pra zorra
Mesmo depois de ter apresentado 20 nomes da segunda divisão da administração pública, Rui tem ainda que nomear mais 20 pessoas. Ao todo, são 40 cargos de diretoria no segundo escalão. Em tempos de diminuição da máquina, não seria maldade cortar umas autarquias. 

Devagar
A discussão da regulamentação dos aplicativos de carona paga segue a passos de tartaruga na Câmara Municipal de Salvador. A demora acaba por ajudar as empresas que ofertam o serviço. Os taxistas não estão nada contentes e pretendem pressionar os vereadores nos próximos dias.

Devagarinho
Para conter parte dessa insatisfação, a Casa pretende ainda votar matérias que beneficiem a categoria, uma vez que mesmo com a regulamentação, os aplicativos devem continuar a operar na cidade. Os projetos partirão dos vereadores e não do Executivo. 

Mais um pra conta
A Assembleia Legislativa da Bahia aprovou o título de cidadão baiano para o ator José de Abreu. Ele, que é excelente ator, não fez nada pela Bahia. A proposta é do deputado Marcelino Galo, que resolveu surfar na “autoproclamação” de Abreu como presidente do Brasil. Falta do que fazer. 

Leia essa e outras matérias no Jornal da Metrópole. 

Notícias relacionadas