Política

Vereador diz que Marielle era 'extremista' e defendia 'ideias perturbadoras'

Eleito vereador pela primeira vez em 2016, aos 20 anos, Holiday faz parte do Movimento Brasil Livre (MBL)

[Vereador diz que Marielle era 'extremista' e defendia 'ideias perturbadoras']
Foto : André Bueno / CMSP

Por Matheus Simoni no dia 15 de Março de 2019 ⋅ 09:06

O vereador de São Paulo Fernando Holiday (DEM) afirmou que a vereadora Marielle Franco (PSOL-RJ), assassinada há um ano, era "extremista" e defendia "ideias perturbadoras". Os comentários foram feitos em uma publicação nas redes sociais em que Holiday se opõe a um projeto de lei que prevê dar o nome de Marielle a uma praça da capital paulista.

O post foi feito no mesmo dia do assassinato da edil, que foi morta com quatro disparos na cabeça ao lado do motorista, Anderson Gomes. "O que aconteceu com ela foi terrível, mas sua atuação é uma lenda criada pela mídia. Foi uma vereadora extremista que defendia ideais perturbadores", escreveu Holiday, sem explicar a que ideias está se referindo.

A data foi lembrada pelos os vereadores Eduardo Suplicy (PT) e Toninho Vespoli (PSOL), que protocolaram um projeto de lei para colocar o nome da ativista em uma praça da Brasilândia, Zona Norte da capital, a pedido de moradores da região. Eleito vereador pela primeira vez em 2016, aos 20 anos, Holiday faz parte do Movimento Brasil Livre (MBL), apoiou o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff e costuma criticar o PT e a esquerda, em geral.

Notícias relacionadas