Política

Em carta a Israel, Bolsonaro se retrata sobre declaração de que é possível 'perdoar o Holocausto'

A fala aconteceu durante um encontro com evangélicos na última quinta-feira (11), no Rio de Janeiro

[Em carta a Israel, Bolsonaro se retrata sobre declaração de que é possível 'perdoar o Holocausto']
Foto : Alan Santos/PR

Por Daniel Brito no dia 14 de Abril de 2019 ⋅ 20:00

O presidente Jair Bolsonaro enviou hoje (14) uma carta a autoridades de Israel a fim de tentar reverter a polêmica gerada por causa de uma declaração sua, em que diz ser possível perdoar o Holocausto.

"Deixei escrito no livro de visitantes do Memorial do Holocausto em Jerusalém: 'AQUELE QUE ESQUECE SEU PASSADO ESTÁ CONDENADO A NÃO TER FUTURO'. Portanto, qualquer outra interpretação só interessa a quem quer me afastar dos amigos judeus. Já o perdão, é algo pessoal, nunca num contexto histórico como no caso do Holocausto, onde milhões de inocentes foram mortos num cruel genocídio", escreveu.

Durante um encontro com evangélicos no Rio de Janeiro, realizado na última quinta-feira (11), Bolsonaro declarou: "Fui, mais uma vez, ao Museu do Holocausto. Nós podemos perdoar, mas não podemos esquecer. E é minha essa frase: Quem esquece seu passado está condenado a não ter futuro. Se não queremos repetir a história que não foi boa, vamos evitar com ações e atos para que ela não se repita daquela forma".

A fala foi amplamente criticada por Israel. O presidente do país, Reuven Ivlin, se manifestou na sexta-feira (12) por meio de seu perfil no Twitter.  

 

Notícias relacionadas