Política

Decisão de Toffoli a favor de Flávio é 'prêmio da ladroeira' do país, diz Ciro

Ele destaca que a decisão do Supremo pode ser estendida para investigações de lavagem de dinheiro em todo o país

[Decisão de Toffoli a favor de Flávio é 'prêmio da ladroeira' do país, diz Ciro]
Foto : Tácio Moreira/Metropress

Por Juliana Almirante / Alexandre Galvão no dia 17 de Julho de 2019 ⋅ 08:33

O ex- ministro Ciro Gomes (PDT) avalia que a decisão do presidente do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli, de suspender a investigação contra o senador Flávio Bolsonaro, pode ser entendido como um "prêmio da ladroeira" do país. 

"O ministro Toffoli, nessa decisão assustadora, manda essa lição de que a impunidade é o prêmio da ladroeira de grande coturno no Brasil. Espero muito comovidamente e vou lutar para que a Suprema Corte veja a aberração que foi praticada e corrija isso, revogando essa liminar absurda. É um país sem lei", afirmou, em entrevista à Rádio Metrópole na manhã de hoje (17). 

Ele destaca que a decisão do Supremo pode ser estendida para investigações de lavagem de dinheiro em todo o país.

"Quando manda fazer isso para uma pessoa, como é decisão do Supremo, se espalha para todos os outros. Hoje de manhã o Brasil amanheceu com uma decisão que suspende todas as decisões de lavagem de dinheiro. Ora, sem investigar lavagem de dinheiro, a corrupção e o narcotráfico vão ficar livres", disse Ciro.

O pedetista ainda questionou que Toffoli teria sido indicado pelo Partido dos Trabalhadores (PT) sem critério.

"O STF tem um ministro nomeado pelo FHC, o Gilmar, um do Sarney, Celso, um do Collor, o Marco Aurélio, os outros todos, menos o Alexandre, todos foram nomeados pelo PT, sem critério e o Toffoli não passou no concurso para juiz federal. Essa é a tragédia e o bolsonarismo reina nisso", criticou.

Notícias relacionadas