Política

‘Não quero ser avô de um fruto de estupro’, diz vereador Ricardo Almeida

Em debate na Metrópole, o edil se contradisse ao afirmar que era “irrestritamente” contra o aborto

[‘Não quero ser avô de um fruto de estupro’, diz vereador Ricardo Almeida]
Foto : Matheus Simoni / Metropress

Por Adelia Felix no dia 13 de Agosto de 2019 ⋅ 20:01

O vereador Ricardo Almeida (PSC) disse, na Rádio Metrópole, nesta terça-feira (13), que não admitiria ser avô de uma pessoa fruto de um estupro. A declaração aconteceu durante debate com a vereadora Marta Rodrigues (PT), no Jornal da Cidade - II Edição. Um dos temas abordados na conversa foi a descriminalização do aborto.

“Eu sou pai. Não vou querer ser avô de um neto vindo de um estupro. Você vai ter a vida inteira convivendo com uma pessoa que lhe traz lembrança... No caso de estupro, previsto em lei, eu sou a favor [da descriminalização]”, disse o vereador.

Logo em seguida, a vereadora retrucou: “Está vendo como é complexo?”.

Antes, o parlamentar afirmou que é “absolutamente” e “irrestritamente” contra o aborto. “Pego até o pensamento feminista, que traz ideia de que a mulher que é dona do próprio corpo, que se contradiz porque 60% dos fetos é feminino. Quando se faz aborto está matando mulheres. Porque ali você tem dentro de sua barriga uma pessoa, um ser humano, que 60% desses fetos abortados são femininos. Sou a favor de criminalizar. Matou uma vida é um homicida”, avaliou.

Na mesma oportunidade, a vereadora petista argumentou que seguia o entendimento adotado pelo PT no Congresso Nacional. E, ressaltou que era a favor dos casos previstos em lei. “O nosso partido aprovou a descriminalização do aborto. Deixar de ser crime. E, vamos seguir esta orientação com convicção. Até porque se eu deixar de seguir a orientação do nosso partido eu tenho que procurar outro. Nós defendemos aquilo que está previsto em lei”.

Quando o assunto foi as eleições de 2020, os vereadores subiram o tom. A edil foi questionada sobre quais seriam os pré-candidatos do PT. “Nós temos alguns nomes apresentados, como Robinson Almeida, Valmir Assunção, Nelson Pellegrino, Jorge Solla, Moisés Rocha e Vilma Reis. Temos esses nomes. Como estamos em um processo de debate da renovação das direções internas, logo após a eleição, vamos nos debruçar nessa discussão”, destacou.

Ricardo Almeida rebateu dizendo que “esses nomes já demonstraram que têm muita dificuldade. Pellegrino já se colocou três vezes”. Ele ainda acrescentou: “Não vejo ninguém no PT com musculatura”.

Marta respondeu: “O vereador aqui está sendo desrespeitoso com o meu partido. Além do mais, está cometendo falácia. Na última eleição, Alice Portugal foi a nossa candidata. O PSC também não tem a coragem de colocar nomes”.
 

Notícias relacionadas