Política

Ao comentar crise na AL-BA, deputado cita escritório de advocacia que recebe R$ 400 mil

Segundo Paulo Câmara, acordo que não feito na gestão de Nilo gera prejuízo de quase R$ 40 milhões anual

[Ao comentar crise na AL-BA, deputado cita escritório de advocacia que recebe R$ 400 mil ]
Foto : Stephanie Suerdieck / Metropress

Por Adelia Felix no dia 19 de Setembro de 2019 ⋅ 20:14

Deputado estadual Paulo Câmara, do PSDB baiano, afirmou à Rádio Metrópole, nesta quinta-feira (19), que a Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA) passa por “uma dificuldade financeira enorme”. Durante o Jornal da Cidade – II Edição, ele foi indagado sobre a declaração do ex-presidente da Casa Legislativa, Marcelo Nilo (PSB), o qual disse que a AL-BA é uma instituição falida.

“Eu não posso opinar pela gestão passada. Até porque não participei. Vou falar o que escuto. Os deputados falam que hoje a casa passa por uma dificuldade enorme. Esse acordo com os servidores, que o deputado Marcelo Nilo nunca fez, gera um prejuízo de quase R$ 40 milhões anual. Tem escritório de advocacia que recebe quase R$ 400 mil durante 20 anos. Corrigido por IGPM e poupança”, revelou.

Questionado qual era o escritório advocatício, o parlamentar disse que desconhecia. “Não sei. O que a casa toda comenta é isso. Eu não falo da gestão passada. Eu falo da gestão [do presidente] Nelson Leal que eu conheço, acompanho”.

Governo Bolsonaro
Ainda na oportunidade, o tucano disse que não se arrependeu de ter votado no presidente Jair Bolsonaro (PSL). “Eu votei em Bolsonaro porque eu não queria mais o PT. Já que meu candidato não tinha logrado êxito. Não por ser o melhor candidato. Mas já sabia o que era o PT”. No entanto, avalia que até agora o governo do capitão reformado “não mostrou a que veio”.

Veja a entrevista completa.

Notícias relacionadas