Política

Imbassahy critica pacote de privatizações: "É um trem fantasma"

O deputado federal Antônio Imbassahy fez críticas, em entrevista à Rádio Metrópole nesta quinta-feira (11), ao pacote de privatizações anunciado pelo governo federal, que inclui o Aeroporto de Salvador, o Porto de Aratu e parte da BR-101. [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Tácio Moreira/ Metropress

Por Juliana Almirante no dia 11 de Junho de 2015 ⋅ 08:05

O deputado federal Antônio Imbassahy fez críticas, em entrevista à Rádio Metrópole nesta quinta-feira (11), ao pacote de privatizações anunciado pelo governo federal, que inclui o Aeroporto de Salvador, o Porto de Aratu e parte da BR-101. “A gente assiste aquela cena do Palacio do Planalto, aquele super pacote de privatização petista. É um trem fantasma do governo tentando iludir a população”, resumiu o oposicionista. Ele defende que o governo deveria parar de ignorar a crise econômica do país. “A pauta é a crise economica, os custos de alimentos, de educação e habitação. É a situação dramática que está aí”, comentou.


Ele também criticou a aprovação, pela Câmara Federal, da ampliação de todos os mandatos eletivos para cinco anos, dentro da apreciação de itens da reforma política. “Votei até contra, assim como votei a favor do voto facultativo. Ficou mantido o voto obrigatório. Acho isso um equívoco, porque com votos facultativo, o eleitor fica livre. O político também iria perceber a dimensão exata da sua receptividade”, avaliou. 

Notícias relacionadas

[Em Salvador, Ciro condena 'extremismos' e prega união do país ]
PolíticaELEIÇÕES 2018

Em Salvador, Ciro condena 'extremismos' e prega união do país

Por Rodrigo Daniel Silva no dia 23 de Setembro de 2018 ⋅ 10:00 em Política

Presidenciável ressaltou que, embora seja visto como um político de "esquerda", ele defende a união entre "o Brasil que produz com o Brasil que trabalha".

[STJ torna Luiz Caetano inelegível pela Lei da Ficha Limpa]
Política

STJ torna Luiz Caetano inelegível pela Lei da Ficha Limpa

Por Matheus Simoni no dia 21 de Setembro de 2018 ⋅ 14:40 em Política

Condenação se deu por causa de irregularidades na contratação da Fundação Humanidade Amiga (Fhunami), feita no período em que petista foi prefeito em Camaçari