Saúde

Secretário explica frase polêmica sobre Aedes e mulheres de saia: "É científico"

O último boletim divulgado pela Secretaria de Saúde do Estado (Sesab) na manhã desta terça-feira (29) indicou que houve aumento de casos na Bahia. Segundo os dados, até o último dia 26 foram notificados 312 casos suspeitos de microcefalia em 69 municípios, sendo Salvador o que apresentou o maior número, com 173 casos [Leia mais...]

[Secretário explica frase polêmica sobre Aedes e mulheres de saia:
Foto : Divulgação / Revista Crescer

Por Milene Rios e Matheus Morais no dia 29 de Dezembro de 2015 ⋅ 08:26

A microcefalia, doença que passou a assombrar as grávidas no Brasil, teve um aumento considerável no país por causa do contágio das mães pelo zika vírus, transmitido pelo mesmo vetor da dengue, o mosquito Aedes aegypti. O último boletim divulgado pela Secretaria de Saúde do Estado (Sesab) na manhã desta terça-feira (29) indicou que houve aumento de casos na Bahia. Segundo os dados, até o último dia 26 foram notificados 312 casos suspeitos de microcefalia em 69 municípios, sendo Salvador o que apresentou o maior número, com 173 casos.

O secretário de Saúde do Estado, Fábio Vilas Boas, afirmou em entrevista à Rádio Metrópole, na manhã desta terça-feira (29), que as mulheres baianas estão de fato apreensivas e mais uma vez alertou para os cuidados. 

“Eu disse que era para mulheres deixarem de usar saias e passassem a usar calças, mas isso é verdade, é científico. O lugar que o mosquito mais pica é o tornozelo, se a mulher gestante quiser reduzir a possibilidade de ser picada, tem que colocar meias e calças folgadas, o mosquito só voa 200 metros. As pernas ficam debaixo da mesa, os braços estão a mostra, sendo vistos”, destacou. 

Vilas Boas revelou que os bairros de Salvador onde há maior infestação do mosquito são Stiep, Águas Claras e Subúrbio e explicou a ideia de dispersão do mosquito. “Eu entreguei nove projetos que desenvolvi com a Sesab. Temos o projeto do mosquito transgênico. O ministro da Saúde me pediu para que a gente já tivesse a dispersão dos mosquitos em alguns bairros. Existe uma bactéria, um bacilo que você infecta o mosquito aedes e ele passa para outros mosquitos. Ele infecta outros mosquitos, e os filhotes que vão nascer morrem. Como a grande concentração dos mosquitos é na zona urbana, a nossa ideia é jogar o bacilo na rede de água, porque qualquer água na rede de Salvador terá a presença do bacilo israelense. Eu coloco um sistema de pressurização na rede dos bairros e fazemos isso em cada local”, disse o secretário.

Ainda segundo o boletim da Sesab, dentre os 312 casos na Bahia, foram notificados dez óbitos nos municípios de Salvador (2), Itapetinga (1), Olindina (1), Tanhaçu (1), Camaçari (1), Itabuna (1), Campo Formoso (1), Alagoinhas (1) e Crisópolis (1). Todos os casos estão em investigação.

Notícias relacionadas

[Estudo aponta que zika veio do Haiti]
Saúde

Estudo aponta que zika veio do Haiti

Por Clara Rellstab no dia 14 de Agosto de 2018 ⋅ 13:00 em Saúde

Militares brasileiros que participaram da missão de paz no país caribenho e imigrantes que vieram para o Brasil podem ter trazido o vírus