Saúde

Governo libera mais R$ 500 mi para combate ao Aedes e a microcefalia

A presidente Dilma Rousseff sancionou nesta sexta-feira (15) a liberação de recursos no valor de R$ 1,27 bilhão para o desenvolvimento de ações de vigilância em saúde, incluindo o combate ao mosquito Aedes aegypti, em 2016, em todo o país. Serão adicionados a este montante R$ 600 milhões destinados os Agentes de Combate às Endemias. Além disso, também foi aprovado R$ 500 milhões extras para intensificar as ações contra a dengue, febre chikungunya e Zika. [Leia mais...]

[Governo libera mais R$ 500 mi para combate ao Aedes e a microcefalia]
Foto : Arquivo/Agência Brasil

Por Stephanie Suerdieck no dia 15 de Janeiro de 2016 ⋅ 13:54

A presidente Dilma Rousseff sancionou nesta sexta-feira (15) a liberação de recursos no valor de R$ 1,27 bilhão para o desenvolvimento de ações de vigilância em saúde, incluindo o combate ao mosquito Aedes aegypti, em 2016, em todo o país. Serão ainda adicionados a este montante R$ 600 milhões destinados à Assistência Financeira Complementar da União para os Agentes de Combate às Endemias. Além disso, também foi aprovado R$ 500 milhões extras para intensificar as ações e medidas de vigilância, prevenção e controle da dengue, febre chikungunya e Zika.

Nesta semana, o Ministério da Saúde já havia repassado aos estados R$ 143,7 milhões extras destinados a ações de combate ao Aedes aegypti. O recurso foi garantido em portaria publicada no dia 23 de dezembro do ano passado e já liberado 100% aos estados no início desta semana. O Ministro da Saúde, Marcelo Castro, considera fundamental este recurso extra para as ações nos estados e municípios. “Com este reforço financeiro, os estados e municípios vão poder potencializar as medidas de combate ao Aedes aegypti para evitar a transmissão de dengue, chikungunya e Zika”, explicou.

O ministro também aproveitou para orientar que os cuidados com o mosquito devem ser redobrados nesta época do ano, período de maior incidência das doenças. “É preciso que todos se mobilizem para combater este mosquito. É muito importante sempre verificar o adequado armazenamento de água em suas casas, o acondicionamento do lixo e a eliminação de todos os recipientes sem uso, que possam acumular água e virar criadouros do mosquito”, recomendou Marcelo Castro.



 

Notícias relacionadas