Saúde

Crise na saúde: após denúncia da Globo, Neto culpa PT por queda nos repasses

“Temos hoje R$ 80 milhões a menos do que deveríamos receber do governo federal, principalmente para o teto de alta e médica complexidade, onde o “gargalo” é maior. Por conta disso tive que pegar dinheiro do município para cobrir obrigações do governo federal", [Leia mais...]

[Crise na saúde: após denúncia da Globo, Neto culpa PT por queda nos repasses]
Foto : Angelo Pontes/Agecom

Por Pedro Sento Sé no dia 29 de Fevereiro de 2016 ⋅ 12:25

Durante a apresentação da Operação Chuva deste ano, o prefeito ACM Neto (DEM) falou sobre a questão da saúde no município e principalmente da falta de repasses do governo federal para a prefeitura de Salvador.

“Nós temos hoje R$ 80 milhões a menos do que deveríamos receber do governo federal, principalmente para o teto de alta e médica complexidade, onde o 'gargalo' é maior. Por conta disso, tive que pegar dinheiro do município para cobrir obrigações do governo federal. Se nós tivéssemos esse repasse, poderíamos aumentar o número de cirurgias e o credenciamento de hospitais que realizam serviços de oncologia”, explicou.

O prefeito ainda fez um balanço dos investimentos realizados pela Prefeitura. “Saltamos de 15% do que foi investido na gestão anterior, para 19%. Dobramos o número de equipes da Saúde da Família e saímos de 18% para 50% a população assistida pela atenção básica. E nós teremos até o fim do ano 9 UPAs funcionando”, disse. 

ACM Neto também informou que a licitação para a construção do Hospital do Município já foi iniciada. “Como o governo federal não faz o repasse de verbas e o serviço do estado está aquém, porque está executando a menos do que deveria fazer. Eu infelizmente acho que tem política no meio dessa história, até porque o teto para o Rio de Janeiro aumentou”, bradou.

Notícias relacionadas