Saúde

Anvisa proíbe venda de prótese mamária de silicone Nagor

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) proibiu nesta segunda-feira (19) a importação, distribuição e venda do Implante Mamário Texturizado Preenchido com Gel da marca Nagor, comercializado pela empresa Import Medic Importação e Exportação Ltda. [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Ciete Silvério/A2IMG

Por Luiza Leão no dia 19 de Setembro de 2016 ⋅ 16:16

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) proibiu nesta segunda-feira (19) a importação, distribuição e venda do Implante Mamário Texturizado Preenchido com Gel da marca Nagor, comercializado pela empresa Import Medic Importação e Exportação Ltda. Todo o estoque do produto existente no mercado brasileiro deverá ser recolhido pela empresa.

Para a suspensão do produto, a Anvisa se baseou em análise realizada pelo Instituto Falcão Bauer, responsável pela certificação do implante mamário, que verificou irregularidades na produção do produto em questão. O registro do implante já havia sido cancelado no último dia 15, mas a publicação no Diário Oficial da União aconteceu nesta segunda, com a proibição da distribuição do produto no Brasil e sua importação.

Em nota, a empresa Eurosilicone Brasil, atual importadora dos produtos fabricados pela Biosil Ltda (Nagor), afirma que a proibição de comercialização é do implante mamário GFX, comercializado anteriormente no Brasil pela empresa Importic Medic. De acordo com a Eurosilicone Brasil, antes de ter a proibição divulgada pela Anvisa este tipo de implante já não estava sendo vendido no país.

A empresa reforça que o implante mamário Impleo tem o Certificado de Conformidade emitido pelo Instituto Falcão Bauer de Qualidade. O certificado é válido até 29 de junho de 2019, assim como a autorização para venda pela Anvisa. 

Notícias relacionadas

[Um em cada oito adultos no mundo é obeso, alerta OMS]
Saúde

Um em cada oito adultos no mundo é obeso, alerta OMS

Por Alexandre Galvão no dia 11 de Outubro de 2018 ⋅ 19:00 em Saúde

Dados da Pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel) apontam que mais de 50% da população brasileira te...