Saúde

Mais Médicos: governo planeja substituir 4 mil médicos cubanos por brasileiros

O governo federal pretende substituir quatro mil cubanos por brasileiros no programa Mais Médicos. A informação foi confirmada pelo ministro da Saúde, Ricardo Barros, nesta terça-feira (20). A mudança deverá ocorrer dentro dos próximos três anos. [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Karina Zambrana /ASCOM/MS

Por Matheus Simoni no dia 20 de Setembro de 2016 ⋅ 14:32

O governo federal pretende substituir quatro mil cubanos por brasileiros no programa Mais Médicos. A informação foi confirmada pelo ministro da Saúde, Ricardo Barros, nesta terça-feira (20). A mudança deverá ocorrer dentro dos próximos três anos. 

A aposta é de que os graduados na Bolívia e no Paraguai — antes barrados pela restrição — ocupem as vagas dos profissionais enviados por Cuba.

Ainda segundo o ministro, a bolsa-formação paga a todos os profissionais do Mais Médicos vai subir de R$ 10.570 para R$ 11.520, um reajuste de 9% a partir de janeiro de 2017. É a primeira vez, desde o início do programa do governo federal, há três anos, que há aumento no valor repassado. Segundo Barros, haverá correção anual da bolsa com base na inflação.

Ao todo, existem 11.429 médicos cubanos atuando no Brasil. O número corresponde a 62,6% dos 18.240 médicos participantes no programa Mais Médicos. O índice de profissionais com registro médico brasileiro é de apenas 29%. Ao todo, os profissionais trabalham em 4.058 municípios e 34 distritos indígenas, segundo números divulgados pelo ministério. A pasta afirma que 63 milhões de brasileiros foram beneficiados pelo programa.

Notícias relacionadas