Saúde

“Depende do governo”, diz Sindimed sobre abertura do Hospital Espanhol

Em entrevista à Rádio Metrópole na manhã desta sexta-feira (21), o presidente do Sindicato dos Médicos da Bahia (Sindimed), Francisco Magalhães, falou sobre a atual situação do Hospital Espanhol, que está fechado. [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Divulgação

Por Matheus Morais no dia 21 de Agosto de 2015 ⋅ 10:03

Em entrevista à Rádio Metrópole na manhã desta sexta-feira (21), o presidente do Sindicato dos Médicos da Bahia (Sindimed), Francisco Magalhães, falou sobre a atual situação do Hospital Espanhol, que está fechado. “Já fomos procurados e dissemos que a solução é que o governo deveria reabrir o hospital, porque as pessoas precisam daquela unidade, as pessoas precisam dela para que haja acolhimento. O secretário de Saúde me disse que há uma negociação encaminhada com uma empresa, mas ela nunca se quallificou para colocar isso para frente”, afirmou.

Para Magalhães, a abertura do hospital está cada dia mais longe. “Quando houver a posição, teremos outros problemas, como por exemplo os aparelhos, que podem estar desgastados e com dificuldade para operar. Hoje, temos 150 a 200 vagas de UTI. Temos muitos pacientes esperando na regulação, esse hospital tem 60 vagas de UTI que não funcionam e pacientes continuam morrendo. Já passou do tempo do governo abrir, o importante é a vida das pessoas, ter o atendimento que precisa, depois se discutir o que irá acontecer, depende da boa vontade do governo”, opinou.

Notícias relacionadas