Vida Alheia

Cantoras buscam por corpo do pai enterrado como indigente

Ter o pai enterrado como indigente e ainda assim não encontrar o corpo. Esta é a dor, imensurável, que permanece na vida das cantoras sertanejas, Simone e Simaria. Nesta quarta-feira durante o programa De Cara, da Rádio O Dia, as duas relembraram do trágico momento quando moravam em um garimpo mato-grossense.[ Leia mais…]

[Imagem not found]
Foto : Foto Divulgação

Por André ´Teixeira no dia 03 de Novembro de 2016 ⋅ 10:41

Ter o pai enterrado como indigente e ainda assim não encontrar o corpo. Esta é a dor, imensurável, que permanece na vida das cantoras sertanejas, Simone e Simaria. Nesta quarta-feira durante o programa De Cara, da Rádio O Dia, as duas relembraram do trágico momento quando moravam em um garimpo mato-grossense.

Segundo as cantoras a família não tinha nada, morava numa casa de tábua no meio do garimpo. Por ser um lugar de atividade perigosa as artistas falaram que todos os dias viam pessoas mortas. "Assassinadas mesmo. Foi muito triste nossa infância com nossos pais", revelaram.   

"Ele foi tomar banho e minha mãe chamou."Ele não respondeu e quando eu fui ver ele tava deitado no chão. Lembro até hoje. A água caindo nos pés, como se tivesse sentido alguma dor", acrescentou a cantora. 

Simone diz que o pai morreu quando ela tinha 8 anos: "Foram os amigos que compraram o caixão e ajudaram a fazer o enterro. Hoje a gente briga na Justiça para achar o corpo e fazer tudo direitinho. Nosso pai estava ali tentando achar uma pedra. Aquele sonho de nordestino de achar uma pedra e salvar a família. A gente morava ali por isso", recordou, emocionada. Antonio foi enterrado como indigente após infarto, aos 44 anos, enquanto tomava banho. Atualmente, as Coleguinhas, como são conhecidas, são a sensação da música sertaneja.

 

 

 

 

Notícias relacionadas