Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Bahia

Governo da Bahia compra ultrafreezers para armazenar vacina da Pfizer

Mesmo após ser recusado pelo Ministério da Saúde, o imunizante será adquirido pela Bahia caso seja disponibilizado e tenha autorização da Anvisa

[Governo da Bahia compra ultrafreezers para armazenar vacina da Pfizer]
Foto : Mateus Pereira/GOVBA

Por Adele Robichez no dia 03 de Dezembro de 2020 ⋅ 11:40

Mesmo após o Ministério da Saúde anunciar que a vacina Pfizer/BioNTech não será comprada pelo Brasil, o Governo do Estado da Bahia decidiu que vai a adquirir caso haja uma disponibilização com autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) antes de haver uma oferta de alguma outra vacina pelo Governo Federal.

A informação foi dita hoje (3) pelo Secretário da Saúde do Estado da Bahia, Fábio Vilas-Boas, em entrevista à Rádio Metrópole, após reunião com o Governador do Estado, Rui Costa. Ele explica que a vacina poderá ser comprada pelo estado para “imunizar pessoas de mais alto risco, como idosos”. 

Para conseguir armazenar a vacina da Pfizer, o secretário revela que serão comprados ultrafreezers, pois, de acordo com ele, ela precisa ficar em um temperatura entre -70°C e -80°C. “Abriremos um registro de preços para comprarmos e montarmos uma rede de frios a - 80°C, pelo menos nas grandes cidades, que permitem uma logística maior”, disse. 

Ainda de acordo com Fábio, há freezers desse tipo disponíveis aqui na Bahia no Lacen, no Hemoba, em laboratórios da Fiocruz e em outros laboratórios de pesquisa e afirmou a existência já de centenas de refrigeradores de vacinas no estado, de 2°C a 8°C, que serviriam para o armazenamento de outras vacinas.

Com a eventual compra da vacina da Pfizer, apenas as pessoas dentro dos grupos de risco mais alto receberão o imunizante, pois o preço pode dificultar a sua aquisição em massa. “É muito mais cara que as outras, como a chinesa e a russa, que são vacinas na base de cinco dólares. A Pfizer está chegando a mais de 20, a dose”, declara.

Notícias relacionadas