METROPOLE

Sábado, 15 de maio de 2021

Bahia

Pelegrino reforça importância do VLT, mesmo com monotrilho: 'Foi uma licitação'

Secretário explica motivo da paralisação dos trens do Subúrbio

Pelegrino reforça importância do VLT, mesmo com monotrilho: 'Foi uma licitação'

Foto: Metropress

Por: Matheus Simoni no dia 28 de janeiro de 2021 às 10:18

O secretário estadual de Desenvolvimento Urbano, Nelson Pelegrino, comentou a importância da implementação do VLT, que passou de Sistema de Veículo Leve sobre Trilhos para Veículo Leve de Transporte, no Subúrbio de Salvador. Em entrevista a Mário Kertész hoje (28) na Rádio Metrópole, durante o Jornal da Bahia no Ar, ele falou da necessidade de se paralisar a operação dos trens que funcionam na região. O sistema de transporte funciona desde 1853 e passou a ser elétrico nos anos 50.

"Ia chegar a um momento, inclusive por questão de segurança, da gente ter que parar a operação. Para que essa situação não acontecesse, o Governo do Estado se antecipou e fizemos uma licitação para a construção do novo trem do Subúrbio. Foi vencedor um consórcio liderado pela BYD, que é uma das maiores fabricantes do mundo de material rodante sustentável. Ela fabrica trens, monotrilhos e ônibus elétricos", contou o secretário.

Ainda de acordo com Pelegrino, o investimento é de R$ 2,6 bilhões, com uma concessão de 35 anos para a modernização da região do Subúrbio. 

Questionado por Mário Kertész sobre a adoção de um monotrilho no sistema, o gestor afirmou que o modal foi estipulado através de licitação. "Foi uma licitação. A única empresa que entrou foi a do consórcio Skyrail MetroGreen. O preço na época se parecia muito interessante. No primeiro momento, o trecho original que prevíamos era da Ilha de São João, em Simões Filho, até o Terminal da França. Depois fizemos um aditivo em janeiro de 2020 e uma extensão da segunda linha, que será a principal, que é a linha da Ilha de São João até a Estação Acesso Norte, no metrô. Vai sair de Ilha de São João, quando chega em São Joaquim, na imediação da Feira de Água de Meninos, vai ter um entroncamento: você pode ir para o Comércio, com estação final no Instituto do Cacau, ou para a Via Expressa no Acesso Norte", declarou. 

Para o secretário, é importante investir na conscientização da população sobre o novo sistema de transporte. "É preciso fazer uma campanha de esclarecimento à comunidade de que o trem vai parar. Fizemos um estudo de todas as linhas que servem ao Subúrbio. Chegamos ao preciosismo de fazer um estudo para fazer uma verificação de onde tem uma estação do trem para o ponto de ônibus mais próximo. Vamos fazer o esclarecimento de qual a linha que pode levar ao seu destino final. É importante registrar que, além da precariedade do serviço do Trem do Subúrbio é prestado, muita gente que chega na Calçada e quer ir para o Comércio, Centro, Grande Pituba ou Paralela, além de pagar os 50 centavos, tem que pagar a tarifa", afirmou Pelegrino.

TV METRO

Entrevistas

Alice Portugal

Em 14 de maio de 2021
ASSINE O CANALMETROPOLE NO YOUTUBE
Pelegrino reforça importância do VLT, mesmo com monotrilho: 'Foi uma licitação' - Metro 1