Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Bahia

Psicólogo cobra atenção à saúde mental durante retomada da educação

Para Marimpietri, debate não pode ser "simplório" e requer cuidados em meio à pandemia

[Psicólogo cobra atenção à saúde mental durante retomada da educação]
Foto : Metropress

Por Matheus Simoni no dia 15 de Fevereiro de 2021 ⋅ 12:27


O psicólogo e professor Alessandro Marimpietri avaliou a retomada da educação e apontou os riscos de se adotar um debate simplório em torno do tema. Em entrevista a Mário Kertész hoje (15), durante o Jornal da Metrópole no Ar da Rádio Metrópole, ele afirmou que é hora de evitar que a discussão seja somente pelo "volta ou não volta" e sim debater como a escola se insere no atual contexto da pandemia de coronavírus.

"O ódio é reducionista. Ele retira as tramas complexas de temas como esse e coloca em polos de sim ou de não, quase uma interpretação binária de um problema humano complexo como é a volta às aulas em plena pandemia. Ele reduz isso e de certa maneira acalma os nossos corações. Quase sempre o ser humano escolhe a tragédia diante do drama porque o final é ruim, mas é certo. O drama é incerto, a gente não sabe o que vai acontecer", disse Marimpietri.

"Ao invés da gente mergulhar profundamente num debate, numa discussão que amplie as nossas percepções não apenas no tema volta ou não volta, mas o lugar da educação nessa sociedade. A pandemia, de certa maneira, lançou luz. A gente faz essas escolhas mais simplórias de isso ou aquilo", acrescenta.

Ainda segundo o psicólogo, o tema da saúde mental não pode ser deixado de lado em meio ao retorno das atividades escolares. Marimpietri reforça que é preciso dar destaque ao que a ciência já conseguiu reunir de conhecimento até então. "Como psicólogo, tenho me posicionado no seguinte lugar: não sou um especialista que possa dizer volta ou não volta. Eu sou muito cauteloso na emissão dessa opinião porque há pessoas muito mais gabaritadas para isso. O que eu acho é que antes, há um ano atrás, não tínhamos o conhecimento científico que temos hoje sobre e pandemia. Portanto, qualquer decisão numa pandemia é ruim e vai implicar numa perda. O que tem que se levar em conta agora é: diante dos conhecimentos novos que a ciência produziu sobre a perspectiva da pandemia o retorno às aulas é possível ou não é possível? Sendo possível, sob quais condições? É preciso que se inclua nesses protocolos de saúde algum tipo de acolhimento da saúde mental", afirmou o especialista.

Notícias relacionadas