Sexta-feira, 18 de junho de 2021

Bahia

Depois de crise da segunda dose, Vilas-Boas diz que voltará a armazenar CoronaVac: "Não vamos mais confiar"

Para o secretário estadual de Saúde, atraso no fornecimento de insumos é um "castigo" da China devido aos ataques do ministro da Economia, Paulo Guedes

Depois de crise da segunda dose, Vilas-Boas diz que voltará a armazenar CoronaVac: "Não vamos mais confiar"

Foto: Metropress

Por: Juliana Rodrigues no dia 12 de maio de 2021 às 10:10

O secretário estadual de Saúde, Fábio Vilas-Boas, afirmou nesta quarta (12), em entrevista ao Jornal da Bahia no Ar, na Rádio Metropole, que a Bahia voltará a guardar as doses da CoronaVac para o reforço em pessoas que já receberam a primeira aplicação. As restrições de fornecimento aplicadas pela China em relação ao Insumo Farmacêutico Ativo (IFA), essencial à fabricação do imunizante, provocaram um atraso na entrega de novas doses por parte do Ministério da Saúde. Só em Salvador, cerca de 60 mil pessoas estão com o reforço atrasado.

"Foi um erro do ministério lá atrás querer sinalizar que estava tudo bem, que podia usar tudo da primeira vez. Nós, aqui na Bahia, felizmente só fizemos isso com dois lotes, o 9 e o 10, e quando percebemos que isso poderia vir a criar problema, voltamos a guardar as segundas doses e vamos manter isso daqui pra frente. Não vamos mais confiar nessa vacina vindo da China, a não ser que a vacina passe a ser fabricada no Butantan", disse.

Segundo o secretário, a China está "dando um castigo" devido às recentes declarações do ministro da Economia, Paulo Guedes. No último dia 27 de abril, Guedes afirmou que a China inventou o coronavírus e tem vacina menos eficaz. "Esses problemas diplomáticos do Paulo Guedes falando besteira, ofendendo os chineses, criaram uma dificuldade. Os chineses estão dando castigo agora para a gente. Isso nos preocupa muito", pontuou.

Depois de crise da segunda dose, Vilas-Boas diz que voltará a armazenar CoronaVac: "Não vamos mais confiar" - Metro 1