Sexta-feira, 18 de junho de 2021

Bahia

Bahia tem primeira condenação por crime de intolerância religiosa

Condenação veio seis anos após a morte da ialorixá Mildredes Dias Ferreira, conhecida como Mãe Dede de Iansã, vítima do crime

Bahia tem primeira condenação por crime de intolerância religiosa

Foto: Reprodução/Arquivo Pessoal

Por: Geovana Oliveira no dia 10 de junho de 2021 às 14:00

A Bahia registrou sua primeira condenação por intolerância religiosa seis anos após a morte da ialorixá Mildredes Dias Ferreira, conhecida como Mãe Dede de Iansã, vítima do crime. A condenação foi confirmada em segunda instância no Tribunal de Justiça da Bahia, nesta segunda-feira (7). 

A condenada, Edneide Santos, foi denunciada em 2015 pelo Ministério Público estadual por praticar discriminação religiosa contra a ialorixá, Mãe de Santo do Terreiro Oyá Denã. Ela terá que prestar serviços à comunidade e se apresentar mensalmente à Justiça.

Segundo a decisão, Edneide hostilizava a ialorixá e religiosos em sucessivos abusos racistas e foi condenada pela prática do crime de racismo, na forma de preconceito religioso. Segundo a denúncia, os ataques de Enedeide tratavam-se de "verdadeira prática, induzimento e incitação ao preconceito e intolerância religiosa, uma vez que os ofendidos seriam toda a coletividade praticante do candomblé”.

Segundo o MP-BA, o Tribunal de Justiça da Bahia decidiu, da sentença, que “a conduta representa injustificável menosprezo e preconceito dirigido, intencionadamente, contra toda a coletividade praticante do candomblé, havendo suficiente comprovação de que as expressões utilizadas pela apelante, tais como “sai satanás”, “queima satanás”, implicam na exortação de indiscutível carga negativa quanto à referida religião de matriz africana”.

Bahia tem primeira condenação por crime de intolerância religiosa - Metro 1