Domingo, 26 de setembro de 2021

Bahia

Acirrada, eleição no Conselho de Odontologia tem retorno do voto impresso, ofensas e acusações de fraude

Candidato da oposição levantam possibilidade de fraude nos votos

Acirrada, eleição no Conselho de Odontologia tem retorno do voto impresso, ofensas e acusações de fraude

Foto: Reprodução/Redes sociais

Por: Gabriel Amorim no dia 15 de setembro de 2021 às 11:13

A eleição para a nova gestão do Conselho Regional de Odontologia da Bahia (CRO-BA) só vai acontecer oficialmente em 1º de outubro, mas já está gerando polêmica. O pleito deste ano retomou a votação por meio do voto impresso, o que tem gerado polêmica entre as chapas. As regras para as eleições do conselho ainda permitem o envio dos chamados votos por correspondência, quando o profissional não comparece presencialmente para votar, mas envia sua escolha através de ofício. 

Os votos, que já tem chegado à sede do órgão, e podem chegar até o dia da eleição, levantaram suspeita de possibilidade de fraudes no processo.

A mudança, divulgada por meio de um ofício assinado pelo presidente do conselho, Marcel Lautenschlager Arriaga, que concorre à reeleição, gerou desconforto em profissionais. Comentários nas redes sociais apontam que a atual gestão do conselho teria optado por práticas retrógradas, e que a modalidade aumenta a possibilidade de fraude e gera despesa adicional em torno de R$ 50 mil custeada pela categoria. Tudo isso com a intenção de permanecer à frente da entidade. 

Candidato da oposição, Paulo Henrique Alves afirma que os votos por correspondência já recebidos pelo órgão tem sido entregues de forma improvisada e aumentado a insegurança. “Estamos sendo frequentemente desrespeitados pelo presidente do CRO-BA, que se descontrola em vídeos ofensivos, publicados nos grupos de dentistas, toda vez que é questionado sobre a segurança do pleito. Nada disso estaria ocorrendo se fosse utilizado o sistema gratuito e seguro, fornecido pelo Conselho Federal de Odontologia, para voto online”, defende o candidato. 

O vídeo citado por Alves, que representa a chapa 2, circula nas redes sociais. No registro, ao qual o Metro1 teve acesso, Arriaga chama o adversário de “estagiário, moleque, mentiroso” e defende o sistema de votos impressos. Anos antes, quando eleito para seu primeiro mandato, o dentista elogiou em vídeo o sistema online e fez promessas de melhoria. “É um acerto um voto online, precisamos trabalhar para melhorar o sistema, e com sua ajuda, no próximo biênio faremos isso”, prometeu o profissional durante campanha de segundo turno em 2019.

O Metro1 teve acesso, ainda, a foto da urna (acima) que estaria sendo utilizada para armazenar os votos já recebidos pela modalidade por correspondência. Na imagem, uma urna de papel aparece aberta.

 

Acirrada, eleição no Conselho de Odontologia tem retorno do voto impresso, ofensas e acusações de fraude - Metro 1