Faça parte do canal da Metropole no WhatsApp >>

Sexta-feira, 21 de junho de 2024

Home

/

Notícias

/

Bahia

/

Com gastos elevados, Sufotur dificulta acesso a dados públicos sobre despesas do órgão

Bahia

Com gastos elevados, Sufotur dificulta acesso a dados públicos sobre despesas do órgão

Trilhando um caminho permeado de críticas e contradições à destinação do dinheiro público, Sufotur inviabiliza comunicação

Com gastos elevados, Sufotur dificulta acesso a dados públicos sobre despesas do órgão

Foto: Thiago Del Rey/Sufotur

Por: Metro1 no dia 10 de agosto de 2023 às 09:52

Atualizado: no dia 10 de agosto de 2023 às 15:41

Criada no início de março como substituição à extinta Bahiatursa, a Sufotur (Superintendência de Fomento ao Turismo) enfrenta problemas de comunicação e retornos de questionamentos. Com investimentos elevados em festas ao redor do estado, é difícil conseguir acessos referentes aos detalhamentos dos gastos do órgão. 

Desde o seu surgimento, a Sufotur trilha um caminho permeado de críticas e contradições à destinação do dinheiro público. Antes mesmo da fundação jurídica do órgão, foram firmados contratos para o Carnaval de 2023. A situação aconteceu em uma novela administrativa que deixou resquícios.

O envio do projeto de lei à Assembleia Legislativa que autorizaria a criação da superintendência foi realizado às vésperas da folia momesca. Mesmo não tendo respaldo legal para assinar contratos para contratações e pagamentos de empresas, fornecedores e artistas, o governo assinou 240 ordens de pagamento no valor de R$ 28 milhões, tudo publicado em nome da Bahiatursa, que já não existia. Nascia então, a corroboração de uma entidade fantasma.

Alegando haver artistas que ainda não receberam pagamentos, o deputado estadual Robinho (União) sugeriu a criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar a Sufotur. “Tem cantores [do Carnaval deste ano] que até agora não receberam. [...] É uma esculhambação a Sufotur", afirmou em entrevista ao Metro1.

Transparência?

A ausência de nitidez nas questões que envolvem a superintendência não para por aí. Após o investimento de mais de R$ 100 milhões no São João, o Metro1 procurou a Superintendência em busca dos dados de investimento em influenciadores digitais para divulgar os eventos. 

Através do Portal da Transparência, foi realizada uma solicitação no dia 16 de junho. A Secretaria da Fazenda do Estado da Bahia informou que os dados foram solicitados à Sufotur, que teria prazo de atendimento de 20 dias, prorrogáveis por mais 10. Os entraves também acontecem com a assessoria do órgão, que possui contatos discriminados no portal do governo que não respondem, além de endereço de e-mail da antiga Bahiatursa.