Bahia

Comandante da PM atribui tranquilidade do Carnaval ao folião pipoca

Durante entrevista a Mário Kertész, na Rádio Metrópole, na manhã desta quinta-feira (2), o comandante geral da Polícia Militar da Bahia, coronel Anselmo Brandão, voltou a falar sobre a atuação da corporação no período do Carnaval no estado. Destacando a redução em índices de violência, o coronel declarou que nunca viu "um Carnaval tão tranquilo" como o deste ano. [Leia mais...]

[Comandante da PM atribui tranquilidade do Carnaval ao folião pipoca]
Foto : Tácio Moreira/Metropress

Por Gabriel Nascimento e Matheus Morais no dia 02 de Março de 2017 ⋅ 08:14

Durante entrevista a Mário Kertész, na Rádio Metrópole, na manhã desta quinta-feira (2), o comandante geral da Polícia Militar da Bahia, coronel Anselmo Brandão, voltou a falar sobre a atuação da corporação no período do Carnaval no estado. Destacando a redução em índices de violência, o coronel declarou que nunca viu "um Carnaval tão tranquilo" como o deste ano. "Foi muito trabalho e a cada ano vamos aperfeiçoando. A PM está motivada. Mais de um milhão de pessoas passaram pelos portais para serem revistados. Demoravam meia hora, mas felizes. Tivemos 15 mil policiais em Salvador, não foi fácil. Mais de 5 mil no interior. É uma operação de guerra em tempo de paz. Eles deram um show de bola", afirmou.

Questionado sobre a influência da diminuição dos blocos na festa, o coronel disse: "Não vamos criticar o Carnaval com cordas. Mas quando você tira a corda, você dá ao folião a sensação de pertencimento. A gente não via atrito. A gente percebe que a tensão entre a polícia e o público diminuiu depois do fim das cordas. Não sei como será o futuro do Carnaval, estou fazendo uma análise mais sociológica".

De acordo com Brandão, alguns furtos foram registrados em Porto Seguro, mas em Ilhéus e Juazeiro, não houve ocorrências. "O que deixa a gente feliz é saber que deu tudo certo", finalizou.

Notícias relacionadas