Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Bahia

Sobreviventes apontam \"omissão de socorro\" após tragédia em Mar Grande

Depoimentos de sobreviventes da tragédia que vitimou 18 mortos em Mar Grande, na Baía de Todos-os-Santos, apontam que houve omissão de socorro às vítimas do naufrágio da embarcação Cavalo Marinho I. A informação foi confirmada pelo delegado plantonista da 24ª Delegacia Territorial (DT/Vera Cruz), Gil Félix, em entrevista à TV Bahia. [Leia mais...]

[Sobreviventes apontam \
Foto : Alberto Maraux / SSP-BA

Por Matheus Simoni no dia 26 de Agosto de 2017 ⋅ 11:02

Depoimentos de sobreviventes da tragédia que vitimou 18 mortos em Mar Grande, na Baía de Todos-os-Santos, apontam que houve omissão de socorro às vítimas do naufrágio da embarcação Cavalo Marinho I. A informação foi confirmada pelo delegado plantonista da 24ª Delegacia Territorial (DT/Vera Cruz), Gil Félix, em entrevista à TV Bahia.

Uma das sobreviventes, que prefere não ser identificada, relatou que duas lanchas, que pertenciam à empresa CL Transporte Marítimo, mesma que é dona da embarcação que virou, passaram pelas vítimas na hora do desastre e não pararam para fornecer apoio. \"Teve (sic) duas lanchas que estavam saindo aqui de Mar Grande para ir para Salvador. Passaram perto e a gente apitando. Passaram que ninguém deu socorro a ninguém\", disse a vítima.

Outro sobrevivente da tragédia, o policial militar Valdemar Alves também relatou omissão por parte de embarcações próximas. Ele chegou a lançar sinalizadores para chamar a atenção de quem passava por perto na região. O PM ainda acrescentou que ele e outro policial atiraram para o alto para pedir socorro, que só chegou quase duas horas depois. \"Isso aí tem que ser investigado\", defende, em entrevista à TV Bahia. A Polícia Civil confirmou que irá investigar as denúncias de omissão. Já a Capitania dos Portos nega ter conhecimento do que foi relatado pelos sobreviventes a respeito de uma possível omissão.

Notícias relacionadas