Bahia

Estações do metrô motivam interesse da Prefeitura de Salvador em bairros de Lauro de Freitas

O ano vai chegando ao fim e a polêmica da disputa territorial entre as prefeituras de Salvador e Lauro de Freitas só faz aumentar. Os bairros de Lauro que tiveram partes incorporadas à capital foram Itinga, Cassange e Areia Branca. Só o bairro de Itinga têm 11 mil habitantes. A prefeita de Lauro, Moema Gramacho (PT), acusa o prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), de ter interesse nas áreas pela ampliação do metrô soteropolitano. Ela alega que as duas estações estão dentro de Lauro de Freitas. [Leia mais...]

[Estações do metrô motivam interesse da Prefeitura de Salvador em bairros de Lauro de Freitas]
Foto : Pedro Moraes/GOVBA

Por Matheus Morais no dia 09 de Novembro de 2017 ⋅ 14:31

O ano vai chegando ao fim e a polêmica da disputa territorial entre as prefeituras de Salvador e Lauro de Freitas só faz aumentar. Os bairros de Lauro que tiveram partes incorporadas à capital foram Itinga, Cassange e Areia Branca. Só o bairro de Itinga têm 11 mil habitantes.

A prefeita de Lauro, Moema Gramacho (PT), acusa o prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), de ter interesse nas áreas pela ampliação do metrô soteropolitano. Ela alega que as duas estações estão dentro de Lauro de Freitas. “Eu tenho diálogo com o prefeito. Ele não tem comigo, prefere invadir. Isso aqui não é capitania hereditária. Comigo não”, provoca Moema.

A Prefeitura de Salvador diz que não há discussão sobre o assunto e que as áreas onde estão sendo construídas as estações estão dentro do território soteropolitano — o que indica que Moema tem razão: o interesse nas áreas só existiu após o metrô.

‘Neto quer título de eleitor’

A prefeita de Lauro de Freitas, Moema Gramacho (PT), afirma que as áreas onde estão sendo construídas as estações de transbordo e do metrô são administradas pelo município.

Segundo a petista, Salvador nunca se preocupou com essas áreas em 55 anos. “O prefeito não está preocupado com a identidade do nosso povo. Deve estar preocupado com o título de eleitor do povo. Ele quer porque quer as estações do transbordo e do Aeroporto que estão dentro de Lauro de Freitas. Ele nunca cuidou dessas áreas e nem lembrava delas”, ressaltou.

“Chegou com um caminhão, mandei apreender. Neto não teve coragem de ir lá”

Na quarta (1º), à Metrópole, Moema Gramacho acusou o prefeito de Salvador, ACM Neto, de invadir o território de Lauro de Freitas ao anunciar que iria dar uma ordem de serviço para requalificação de uma praça em Itinga.

A petista mandou os agentes de Lauro apreenderem o caminhão de materiais da Prefeitura de Salvador e bradou: “Ele ia fazer um canteiro, uma obra tamanho PP, um canteirinho de 80 metros quadrados. Ele chegou lá com um caminhão da Limpurb, mandei apreender. Ele não teve coragem de ir lá, eu fiquei esperando ele ir lá”, provocou.

Sedur: "Estações estão nos limites de Salvador"

Já o secretário de Desenvolvimento Urbano de Salvador (Sedur), Sérgio Guanabara, rebateu Moema e disse que as estações do metrô e do transbordo estão em território soteropolitano. “A prefeita dizer que Salvador roubou bairros de Lauro de Freitas é uma impropriedade. As estações estão nos limites de Salvador. Não há discussão em relação a esse ponto. Tanto é que a CCR licenciou a estação do metrô no município de Salvador”, falou.

Guanabara disse que, na gestão do ex-prefeito Márcio Paiva (PP), que desistiu de tentar reeleição por sua impopularidade, o diálogo era melhor. “Da gestão anterior para esta, houve um retrocesso”, disse.

Discussão pode parar na Justiça

Um projeto de lei que tramita na Assembleia Legislativa da Bahia prevê a atualização dos limites entre os municípios baianos. Contudo, a votação do projeto depende de um acordo entre os municípios. Se não houver um consenso, o caso pode parar na Justiça.

A Assembleia chegou a promover uma audiência pública para discutir o assunto no dia 5 de outubro, mas a Prefeitura de Lauro de Freitas alega que nenhum representante da Prefeitura de Salvador compareceu ao evento.

Notícias relacionadas