Bahia

Jornal da Metrópole: quem é pai da cratera em Vera Cruz?

A cratera está cercada e de acordo com projeções, ela deve aumentar de tamanho até que esteja estável

[Jornal da Metrópole: quem é pai da cratera em Vera Cruz?]
Foto : Divulgação

Por Alexandre Galvão no dia 29 de Novembro de 2018 ⋅ 11:20

Uma cratera de quase 86 metros de comprimento, 35,6 metro de largura e 39,7 metros de profundidade, no meio de Vera Cruz, uma dos destinos mais procurados do litoral baiano. A causa ainda é desconhecida, mas o fenômeno leva medo e insegurança para moradores do local e visitantes. 
Pós-doutor em Geofísica e professor da Universidade Federal da Bahia, Marco Antonio Barsottelli Botelho diz que o acontecimento é inédito no mundo e precisa ainda ser melhor explicado. 

“Não existe, no mundo, isso. É comum acontecer em rochas calcárias, mas em arenito é uma coisa muito rara”, explicou. Ainda de acordo com ele, dificilmente só um fator levou ao problema. “Uma série de coisas precisam ser descobertas”. 

Empresa que extrai sal-gema da região, a multinacional Dow Química coordena os trabalhos para descobrir o que aconteceu no local. De acordo com informações obtidas pelo Jornal da Metrópole, a área já foi usada pela empresa para extrair o material que serve  para obtenção de cloro, ácido clorídrico, soda cáustica e bicarbonato de sódio. Resta saber quem é o pai do estrago e quem vai pagar a conta.

Prefeitura de Vera cruz não autuou empresa que extrai matéria-prima
Mesmo com a abertura do buraco, que só faz aumentar, segundo estudos da Dow Química, a prefeitura de Vera Cruz não aplicou nenhuma multa à empresa. Disse, por meio de assessoria de comunicação, que prefere trabalhar com a “prevenção” a uma possível catástrofe. 

Segundo a empresa, “por ser uma área remota e uma floresta densa, não houve feridos nem interrupção na rotina da ilha. A operação e a rotina da comunidade prosseguem normalmente”. O Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema), órgão estadual, também não atuou no caso. 

Vilarejo não será alcançado, diz empresa

A 1 km de distância da cratera, a comunidade de Matarandiba assiste apreensiva ao crescimento da cratera. Especialistas, prefeitura e Dow Química, porém, garantem que é impossível que a cidade seja afetada. 
A gestão de Vera Cruz irá implantar um “plano de contingência para a capacitação da população para qualquer imprevisto/catástrofe que possa vir a ter”. “Mesmo sabendo dos resultados dos laudos já apresentados preferimos trabalhar a precaução”. A Dow vai contribuir com o plano e afirma ter relação de confiança com moradores do local.

Cratera deve crescer mais

A cratera está cercada e de acordo com projeções, ela deve aumentar de tamanho até que esteja estável. Atualmente, a erosão tem as medidas de 85,8 metros de comprimento, 35,6 metros de largura e 39,7 metros de profundidade. A tendência é de que as bordas da erosão fiquem do mesmo tamanho que o fundo dela. Hoje a parte inferior ainda possui perímetro maior do que o das bordas superiores.

Leia essa e outras matérias no Jornal da Metrópole.

Notícias relacionadas

[Rio Pojuca é atingido por ao menos 800 kg de óleo]
Bahia

Rio Pojuca é atingido por ao menos 800 kg de óleo

Por Juliana Almirante no dia 15 de Outubro de 2019 ⋅ 07:40 em Bahia

Material foi retirado em ação de limpeza no local, feita por voluntários e agentes da Defesa Civil, no último final de semana