Bahia

Após grandes apreensões da SSP, Salvador passa por ‘seca de maconha’

Um áudio que circula nas redes, em tom jocoso, convoca uma “manifestação” em frente ao prédio da SSP para pedir o fim da apreensão da droga

[Após grandes apreensões da SSP, Salvador passa por ‘seca de maconha’]
Foto : Divulgação / SSP-BA

Por Alexandre Galvão no dia 17 de Janeiro de 2020 ⋅ 14:57

A atuação da Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP-BA), aliada a fatores de cultivo, têm dificultado a vida de consumidores e traficantes de maconha. Só nos últimos dias, a polícia baiana apreendeu mais de uma tonelada do entorpecente, que é o mais consumido no estado. 

Em nota enviada ao Metro1, a SSP afirmou que só no ano passado apreendeu cerca de 30 toneladas da droga. “A Secretaria da Segurança Pública ressalta que trabalha incessantemente para combater o tráfico de drogas, atividade criminosa ligada diretamente a homicídios, roubos, entre outros delitos. Destaca ainda que em 2019 apreendeu cerca de 30 toneladas de maconha, entorpecente mais consumido no estado. Lembra também que o uso de drogas é um problema de saúde, que carece de outras medidas além das realizadas pela polícia”. 

A “seca de maconha”, como é conhecido o período de baixa circulação da droga, é agravada ainda pelo período. Especialistas ouvidos pelo Metro1 apontam que o cultivo da erva demora, em média seis meses, e, no inverno, o cultivo fica prejudicado pelas chuvas e baixas temperaturas. As festas de final de ano também “demandam” um volume maior. Nas redes sociais, usuários têm relatado dificuldade no consumo da cannabis. 

Um áudio que circula nas redes, em tom jocoso, convoca uma “manifestação” em frente ao prédio da SSP para pedir o fim da apreensão da droga. “Olá, rapaziada. Quero convocar todos vocês para segunda-feira, a partir das 8h, estarmos na SSP para falar com o doutor Maurício Barbosa para saber o motivo da seca na nossa cidade. Que tanta apreensão foi essa?”, questiona um homem que não foi identificado.

Notícias relacionadas