Bahia

Reitor da Ufba defende planejamento, mas aponta preocupação com volta às aulas

João Carlos Salles afirmou ainda que instituição não pode adotar modelo de aulas remotas sem garantir acesso a tecnologias digitais a todos os alunos

[Reitor da Ufba defende planejamento, mas aponta preocupação com volta às aulas]
Foto : Metropress

Por Metro1 no dia 09 de Junho de 2020 ⋅ 12:59

O reitor da Universidade Federal da Bahia (Ufba), João Carlos Salles, afirmou hoje (9), em entrevista a Mário Kertész, na Rádio Metrópole, que é “legítima” a inquietação sobre quando serão retomadas as atividades na instituição, mas que é preciso muito planejamento para retornar. 

“A preocupação é legítima. O problema é que precisamos ter o cuidado para não ter soluções improvisadas, não podemos sair dessa situação diminuindo a qualidade do trabalho da nossa universidade”, explicou Salles. 

O também presidente da Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes) disse que uma das grandes questões para aderir ao modelo de aulas remotas, como em faculdades particulares, é a falta de equipamentos da maioria dos alunos da Ufba. 

“Nós constatamos 15 mil inscritos no Congresso da Ufba online no mês passado. Ali foi o sinal de que esse é o pessoal da comunidade Ufba que tem acesso a tecnologias digitais. Isso significa que mais de dois terços não tem sequer acesso a isso. Como podemos seguir sem providenciar recursos? Então nossa primeira tarefa é garantir acesso a todos. E isso não é tudo, porque não basta ter a internet, muitos inclusive só têm um telefone celular e reduzir a universidade a um celular é algo muito grave, é amesquinhar as exigências de qualidade que nós devemos ter ao ensino”, disse ele.

Na entrevista, o reitor ainda aproveitou para anunciar um endereço eletrônico, que será lançado amanhã (10). Por meio dele, os alunos e funcionários da universidade poderão enviar sugestões para melhoria dos mais diversos aspectos da instituição. 

“Vamos lançar o e-mail [email protected], por meio do qual toda a comunidade vai poder contribuir, enviando perguntas, apontando problemas que têm que ser resolvidos, contribuindo com notas técnicas sobre as condições didáticas, psicológicas, arquitetônicas e outras que precisam ser cumpridas para a retomada das aulas presenciais ou até mesmo remotas”, explicou ele.

Notícias relacionadas