Bahia

UFBA e UFRB decidem manter política de reserva de vagas na pós-graduação

Decisão foi anunciada após o então ministro da Educação, Abraham Weintraub, revogar a Portaria que instituía ações afirmativas nos cursos de pós-graduação em universidades federais

[UFBA e UFRB decidem manter política de reserva de vagas na pós-graduação]
Foto : Luis Macedo/Câmara dos Deputados

Por Danielle Campos no dia 20 de Junho de 2020 ⋅ 11:23

A Universidade Federal da Bahia (UFBA) e a Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) optaram por dar continuidade à política de reservas de vagas para negros, pardos, indígenas, pessoas trans e pessoas com deficiência nos processos seletivos da pós-graduação. A decisão foi anunciada após o então ministro da Educação, Abraham Weintraub, revogar a Portaria Normativa Nº 13/2016, que instituía as ações afirmativas nos cursos de pós-graduação em universidades federais.

De acordo com a UFBA, que divulgou a decisão na quinta-feira (18) a reserva de vagas na pós, instituída em 2017, “é parte importante da política mais ampla de ações afirmativas assumida por esta instituição, de maneira autônoma – independente, portanto, de quaisquer orientações governamentais”. 

A UFRB comunicou o posicionamento ontem (19), e ressaltou que sua comunidade acadêmica é majoritariamente negra e está situada numa das regiões mais negras do país. Deste modo, a instituição afirma ser "socialmente referenciada e politicamente comprometida com a democratização da educação superior pública, laica e gratuita".

Notícias relacionadas