Bahia

Após ‘kit Covid-19’ em Itagi, Vilas-Boas diz que distribuição de hidroxicloroquina sem receita é infração sanitária

Secretário de Saúde da Bahia afirmou ainda que o medicamento não possui eficácia comprovada no tratamento do coronavírus

[Após ‘kit Covid-19’ em Itagi, Vilas-Boas diz que distribuição de hidroxicloroquina sem receita é infração sanitária]
Foto : Paula Fróes/GOVBA

Por Luciana Freire no dia 13 de Julho de 2020 ⋅ 15:32

O secretário de Saúde da Bahia, Fábio Vilas-Boas, comentou hoje (13) em rede social a distribuição, por parte de prefeituras, de medicamentos como cloroquina e hidroxicloroquina. Segundo o gestor a prática de distribuição dos fármacos sem a retenção de uma via da receita médica configura-se como infração sanitária.

Vilas-Boas disse ainda que além de não possuírem eficácia comprovada no tratamento da Covid-19, os medicamentos têm dispensação regulada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

"Quanto ao uso da Ivermectina, que também vem sendo distribuída por algumas prefeituras, a SESAB não possui protocolo de profilaxia pois entende que não há dados científicos que sustentem qualquer tipo de fármaco nessa condição. Na dose que está preconizada, a droga não é inócua!", escreveu Vilas-Boas.

O Metro1 relatou ontem (12) que o município de Itagi, no sudoeste baiano, distribui um kit com medicamentos para pacientes com sintomas de coronavírus. O kit inclui os medicamentos hidroxicloroquina, ivermectina e azitromicina, frequentemente apontados como eficazes para o combate à Covid-19. 

Na sexta (10), em entrevista à rádio local FM Ipiaú, o médico e prefeito de Itagi, Olival Andrade, afirmou que o protocolo tem sido aplicado antes mesmo da comprovação da infecção por coronavírus.  

 

 

Notícias relacionadas