Bahia

Secretário de Educação pede que governo federal suspenda Enem mais uma vez

De acordo com Jerônimo Rodrigues, há uma uma pressão muito forte de estudantes para que o retorno das aulas aconteça logo

[Secretário de Educação pede que governo federal suspenda Enem mais uma vez]
Foto : Metropress

Por Matheus Simoni no dia 17 de Setembro de 2020 ⋅ 10:17

O secretário estadual de Educação, Jerônimo Rodrigues, comentou o atual panorama dos estudantes que estão se preparando para o Enem 2020 e lamentou que a pandemia de coronavírus tenha afetado a entrada deles nas universidades e no mercado de trabalho. "Nós temos preocupação com todos os estudantes, desde o infantil e da creche ao fundamental e à educação de jovens, adultos e universidades. Esses do terceiro e quarto ano é porque existem o sonho na porta deles de fazer um vestibular, chegar a uma universidade e fazer um concurso para percorrer a sua vida profissional", declarou o gestor, em entrevista à Rádio Metrópole hoje (17), durante o Jornal da Bahia no Ar. 

Ele reclamou que o governo federal continua com a data de aplicação de prova para o início do ano que vem, sem avaliar a disparidade entre os alunos que têm maiores condições de estudar e sem a garantir de que o ensino foi passado de forma adequada. "Eles insistem em manter. Já dissemos para suspender essa prova e aguardar o que vai acontecer para, quando a gente voltar, a gente saber qual é o nosso timing de poder fazer uma preparação. Nós começamos as aulas no dia 17 de fevereiro e no dia 17 de março nós paralisamos. Um mês de aula, quase 100 horas de aula aproximadamente. Mesmo fazendo alguma coisa esse ano, ainda é precário porque muitos estudantes da gente não têm internet, moram nas zonas rurais ou nos distritos. Por mais que a gente faça, e estamos fazendo, não é o suficiente", avaliou Rodrigues.

De acordo com o secretário, há uma uma pressão muito forte de estudantes para que o retorno das aulas aconteça logo. No entanto, o governo estadual só irá garantir essa volta quando as condições sanitárias forem resguardadas. "Estamos na transição entre o cuidado da saúde, da vida e o desejo de querer voltar. Haveremos de tomar mais decisões para que a gente possa ajudar esses estudantes, disse Jerônimo Rodrigues. 

Notícias relacionadas