Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Brasil

Banco Itaú demite cerca de 50 funcionários que pediram auxílio emergencial indevidamente

Benefício foi criado para mitigar os efeitos da pandemia nas populações mais vulneráveis e pessoas com emprego formal não poderiam ter recebido

[Banco Itaú demite cerca de 50 funcionários que pediram auxílio emergencial indevidamente]
Foto : Reprodução

Por Cristiele França no dia 06 de Março de 2021 ⋅ 12:34

O Banco Itaú , em São Paulo, decidiu demitir cerca de 50 funcionários que receberam irregularmente as parcelas do auxílio emergencial em 2020. A decisão foi informada através de um comunicado interno a seus colaboradores. O benefício foi criado no ano passado pelo governo federal para mitigar os efeitos da pandemia nas populações mais vulneráveis, e pessoas com emprego formal não poderiam ter recebido o auxílio.

Só poderiam ter sacado o recurso maiores de 18 sem vínculo empregatício e cuja renda mensal familiar por pessoa fosse menor que meio salário mínimo (à época, R$ 522,50), ou cuja renda total na família fosse de até três salários mínimos (R$ 3.135).

Procurado pelo jornal Extra, o Itaú afirmou em nota que "ao identificar que alguns dos seus profissionais solicitaram o auxílio emergencial disponibilizado pelo governo federal, prática que caracteriza desvio de conduta, o banco decidiu pelo desligamento desses colaboradores". O banco tem cerca de 96 mil funcionários. A empresa disse ainda que "ética é um valor fundamental, que deve ser cultivado não apenas nas decisões do banco, mas também dos seus colaboradores, que são orientados e treinados de forma recorrente sobre o tema".

Desde dezembro, o pagamento do auxílio emergencial foi suspenso. 

Notícias relacionadas