Domingo, 16 de janeiro de 2022

Brasil

MPT requer que 99, Uber, Rappi e Lalamove reconheçam vínculo trabalhista

Ações se somam a outras 12 protocoladas para que as plataformas reconheçam vínculos empregatícios

MPT requer que 99, Uber, Rappi e Lalamove reconheçam vínculo trabalhista

Foto: Reprodução

Por: Metro1 no dia 09 de novembro de 2021 às 16:00

O Ministério Público do Trabalho (MPT) ingressou na última segunda-feira (8) com ações contra as empresas 99, Uber, Rappi e Lalamove para que elas sejam obrigadas a reconhecer o vínculo empregatício com entregadores e motoristas.

Embora tenham sido protocoladas em São Paulo, as ações têm âmbito nacional.

As ações se somam a outras 12 protocoladas para que as plataformas reconheçam vínculos empregatícios. Outros 12 processos foram propostos para que aplicativos tomassem providências para proteger motoristas e entregadores da transmissão do coronavírus.

No total, 625 procedimentos já foram instaurados contra 14 empresas de aplicativos: Uber (230), iFood (94), Rappi (93), 99 Tecnologia (79), Loggi (50 procedimentos), Cabify (24), Parafuzo (14), Shippify (12), Wappa (9), Lalamove (6), Ixia (4), Projeto A TI (4), Delivery (4) e Levoo (2).

O titular da Coordenadoria Nacional de Combate às Fraudes nas Relações de Trabalho (Conafret), Tadeu Henrique Lopes da Cunha, diz que o comportamento das plataformas digitais frente ao Poder Judiciário revelou a existência de um contexto de atuação de defesa com base na jurimetria, com a intenção de dificultar o revolvimento da matéria pelo Poder Judiciário, construindo um posicionamento jurisprudencial a seu favor, mediante proposição de acordos manipulatórios da jurisprudência.

MPT requer que 99, Uber, Rappi e Lalamove reconheçam vínculo trabalhista - Metro 1