Faça parte do canal da Metropole no WhatsApp >>

Quinta-feira, 13 de junho de 2024

Home

/

Notícias

/

Brasil

/

Governo do RS irá repassar R$ 500 mil para municípios em calamidade sem exigir plano de trabalho

Brasil

Governo do RS irá repassar R$ 500 mil para municípios em calamidade sem exigir plano de trabalho

O valor aprovado pelo governo federal para auxiliar as cidades é de R$ 122 milhões

Governo do RS irá repassar R$ 500 mil para municípios em calamidade sem exigir plano de trabalho

Foto: Gustavo Mansur/Palácio Piratini

Por: Metro1 no dia 19 de maio de 2024 às 07:30

O governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB), informou que irá fazer um repasse de R$ 500 mil para cada município classificado como em situação de calamidade pública no estado, sem necessidade do envio de plano de trabalho dos prefeitos. A declaração foi feita neste sábado (18), durante uma vista do governador a Lajeado, cidade no interior gaúcho. 

"Vamos repassar para os municípios em calamidade novamente essa semana 500 mil reais para cada um deles sem exigir plano de trabalho, sem exigir apresentação de projeto. O prefeito sabe onde esse recurso tem que ser aplicado", afirmou Leite. 

O objetivo da ação é desburocratizar o repasse para agilizar o envio dos recursos para os locais atingidos pelas enchentes. As chuvas que atingiram o estado no último mês provocaram deslizamentos que chegaram a modificar o mapa do estado gaúcho. O número de mortos chegou a 155. 

Segundo informações da CNN, mais de 130 municípios gaúchos já solicitaram recursos ao governo federal. O valor aprovado para auxiliar as cidades é de R$ 122 milhões.

Reconstrução da Ponte da ERS-130

Além disto, foi anunciado também que a reconstrução da ponte que conecta as cidades de Arroio do Meio e Lajeado, destruída pelas chuvas, deve durar cerca de seis meses. De acordo com Leite, o edital será publicado nesta segunda-feira (20). A Empresa Gaúcha de Rodovias (EGR) será a responsável pela reconstrução. 

“Há um compromisso da EGR em fazer a publicação agora na segunda-feira e a contratação nos primeiros dias de junho para termos essa obra em seis meses executada”, disse o governador gaúcho. “É o que a EGR se compromete a fazer”, completou.