Brasil

Prazo da Justiça para que estudantes desocupem escolas termina segunda

O prazo dado pelo Ministério da Educação (MEC) para que os estudantes deixem as escolas, universidades e institutos federais ocupados em protesto contra medidas propostas pelo governo federal termina nesta segunda-feira (31). [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto :Antonio Cruz/ Agência Brasil

Por Luiza Leão no dia 28 de Outubro de 2016 ⋅ 20:07

O prazo dado pelo Ministério da Educação (MEC) para que os estudantes deixem as escolas, universidades e institutos federais ocupados em protesto contra medidas propostas pelo governo federal termina nesta segunda-feira (31). Caso não haja a desocupação, o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), agendado para acontecer nos dias 5 e 6 de novembro, será cancelado nesses locais. Se as unidades se mantiverem ocupadas, estima-se que 72 mil estudantes serão prejudicados.

"O prazo dado é para que ainda haja tempo hábil para realização das provas nos locais. Caso as ocupações sejam mantidas, prejudicando os alunos que fariam prova nesses locais, o Inep [Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Aníseio Teixeira] terá de fazer a prova em outra data para aqueles estudantes que não conseguiram. Não há data definida porque o MEC ainda aguarda que o bom senso prevaleça", diz nota enviada pela assessoria de imprensa do MEC. No último balanço, 182 locais de prova estavam ocupados.

Segundo o levantamento mais recente da União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (Ubes), 1.177 locais estão ocupados no Brasil. Os estudantes estão protestando contra a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 24, que limita os gastos do governo federal pelos próximos 20 anos, e a reforma do ensino médio instituída pela Medida Provisória (MP) 746, já enviada ao Congresso.

Notícias relacionadas

[Anac pede revisão de decreto das armas]
Brasil

Anac pede revisão de decreto das armas

Por Juliana Rodrigues no dia 21 de Maio de 2019 ⋅ 10:20 em Brasil

Em entrevista à GloboNews, presidente do órgão também se disse favorável à MP que permite até 100% de capital estrangeiro nas companhias aéreas