Brasil

"Não quero a paternidade", diz Temer sobre transposição do São Francisco

Nesta sexta-feira (10), o presidente Michel Temer disse que ninguém pode ter a paternidade das obras de transposição do Rio São Francisco já que foram financiadas pela população brasileira através do pagamento de impostos. [Leia mais...]

[
Foto : Agência Brasil

Por Luiza Leão no dia 10 de Março de 2017 ⋅ 14:22

Nesta sexta-feira (10), o presidente Michel Temer disse que ninguém pode ter a paternidade das obras de transposição do Rio São Francisco já que foram financiadas pela população brasileira através do pagamento de impostos.

A fala do presidente foi realizada durante visita do peemedebista à Paraíba. Antes de seu discurso, o prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues, havia dito que a execução do projeto só foi possível graças à atuação de ministros e ex-presidentes, como Fernando Henrique Cardoso, Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff.

Temer discordou da opinião e afirmou que a paternidade da obra só pode ser concedida ao contribuinte brasileiro. "Não quero a paternidade dessa obra. Ninguém pode tê-la. Ela é do povo brasileiro e nordestino porque foram vocês que pagaram os impostos que nos permitiram fazer essa obra", disse o presidente durante visita ao Complexo Multimodal Aluízio Campos, em Campina Grande.

No complexo, vão ser instalados empreendimentos comerciais, industriais, científicos e tecnológicos, além de empresas do setor de logística. O complexo representará facilidades para o escoamento do que for produzido na região, uma vez que está próximo a terminais rodoviários, aeroviários e portuários, além de ferrovias, gasoduto e às BRs-104 e 230.

Notícias relacionadas