Brasil

Criança de 4 anos presta depoimento após perder dois dentes na escola

Nesta terça-feira (28), o menino de quatro anos que perdeu dois dentes da frente quando estava na escola, vai prestar depoimento na Polícia Civil. De acordo com a mãe da criança, o menino vai conversar com psicólogos na 29ª Delegacia do Distrito Federal e depois será levado ao Instituto Médico Legal, numa tentativa de explicar como os dentes da criança saíram. [Leia mais...]

[Criança de 4 anos presta depoimento após perder dois dentes na escola]
Foto : Arquivo Pessoal/ Reprodução G1

Por Luiza Leão no dia 28 de Março de 2017 ⋅ 14:29

Nesta terça-feira (28), um menino de quatro anos vai prestar depoimento na Polícia Civil porque perdeu dois dentes quando estava na escola, cuja causa ainda é um mistério. Uma funcionária do Centro de Educação Infantil nº 1 do Riacho Fundo, no Distrito Federal, local onde a criança estuda, teria contado que o menino foi encontrado sem os dentes após se trancar no banheiro, mas a coordenação da escola conta outra versão. Segundo a instituição de ensino, a criança brincava no parquinho quando o incidente aconteceu. Já a criança, ao ser questionada pela mãe, contou que um "tio" teria feito aquilo. Quando levado ao dentista, o profissional afirmou não haver indícios de trauma ou pancadas que resultassem na perda dos dentes.

Sem uma explicação certeira, a mãe da criança, Cinthia Souza Santos de Almeida, registrou um Boletim de Ocorrência na delegacia, na última sexta-feira (24), e por isso, após prestar depoimento, o menino também vai conversar com psicólogos na 29ª Delegacia do Distrito Federal e será levada ao Instituto Médico Legal.

Segundo relato feito à polícia sobre a situação, a mãe do menino teria escutado de uma funcionária da escola que seu filho estava trancado dentro do banheiro do local. Após conversa com a funcionária, ele saiu do banheiro, fazendo com que ela percebesse que ele estava sem os dois dentes.

No entanto, a coordenadora da regional de ensino do Núcleo Bandeirante, responsável pelo caso, Francimar Moreira, disse ao G1 que os banheiros ficam dentro das salas e não têm trancas. Ela pontuou ainda que o menino correu em direção ao sanitário quando a professora, ao fazer a fila após as brincadeiras no parquinho infantil, notou a presença de sangue no uniforme. Diretor e o vice-diretor da instituição também serão ouvidos por policiais nesta terça.

Uma outra versão

Um colega do menino contou ter visto a criança bater a boca em um escorregador do parquinho. Entretanto, a coordenadora da escola disse à equipe de reportagem do G1 que "não tinha esses dados", quando questionada sobre a existência do escorregador e a interdição do brinquedo.

Notícias relacionadas

[Sem ação ambiental, país pode ter prejuízo bilionário]
Brasil

Sem ação ambiental, país pode ter prejuízo bilionário

Por Juliana Rodrigues no dia 25 de Agosto de 2019 ⋅ 07:30 em Brasil

Além dos recursos do Fundo Amazônia, paralisado após acusações do ministro Ricardo Salles sobre supostas irregularidades, acordos internacionais e ações filantrópicas pod...