Brasil

Foto polêmica: alunos de medicina são acusados de apologia ao estupro

Estudantes de medicina da Universidade de Vila Velha, no Espírito Santo, causaram polêmica após postarem uma foto em que aparecem vestidos de jaleco, de calças baixas e fazendo sinal com as mãos que remete ao órgão genital feminino. Na legenda, os jovens escreveram \'#PintosNervosos\' e \'MedUVV\' e foram acusados de incitação ao estupro. [Leia mais...]

[Foto polêmica: alunos de medicina são acusados de apologia ao estupro]
Foto : Reprodução/Facebook

Por Yasmin Garrido no dia 11 de Abril de 2017 ⋅ 10:39

Estudantes de medicina da Universidade de Vila Velha, no Espírito Santo, causaram polêmica após postarem uma foto em que aparecem vestidos de jaleco, de calças baixas e fazendo sinal com as mãos que remete ao órgão genital feminino. Na legenda, os jovens escreveram \'#PintosNervosos\' e \'MedUVV\' e foram acusados de incitação ao estupro.

O caso foi divulgado na última segunda-feira (10) pela página “Cartazes & Tirinhas LGBT” no Facebook, que chegou a afirmar que os estudantes fazem especialização em ginecologia. No entanto, a informação não foi confirmada pela universidade.

Por meio de nota, a UVV disse que \'repudia qualquer tipo de ofensa a uma profissão tão importante e fundamental como a medicina\' e informou que está marcada uma \'reunião da coordenação do curso para ouvir os alunos que posaram para a foto\'.

Ainda, a instituição declarou que vai ser instaurada uma comissão de sindicância para apuração dos fatos e eventual “reponsabilização daqueles que tenham transgredido as normas e códigos de ética que regulamentam as ações dos alunos”.

Confira abaixo a nota na íntegra:

\'Diante o ocorrido neste domingo, a Universidade Vila Velha declara que repudia qualquer tipo de ofensa a uma profissão tão importante e fundamental como a medicina. Nosso compromisso com a educação não condiz com conduta apresentada nas publicações.

Hoje à tarde já está havendo uma reunião da coordenação do curso de Medicina para ouvir os alunos da foto e , em seguida, será instaurada uma comissão de sindicância para apuração dos fatos e responsabilização daqueles que tenham transgredido as normas e códigos de ética que regulamentam as ações dos alunos.

Deixamos claro que os atos dos alunos foram iniciativas pessoais e em desacordo com orientações que recebem dos professores e coordenadores da instituição.

UVV\'

Notícias relacionadas