Brasil

Conta de luz deve continuar mais cara em novembro

Por conta da seca, a conta de energia deve continuar mais cara em novembro, com operação tarifária na cor vermelha, o que representa um adicional de R$ 3,50 a cada 100 kilowatts-hora consumidos.[Leia mais...]

[Conta de luz deve continuar mais cara em novembro]
Foto : Reuters

Por Paloma Morais no dia 20 de Outubro de 2017 ⋅ 15:10

Por conta da seca, a conta de energia deve continuar mais cara em novembro, com operação tarifária na cor vermelha, o que representa um adicional de R$ 3,50 a cada 100 kilowatts-hora consumidos. De acordo com o diretor-geral da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), Romeu Rufino, a cobrança extra, que também foi cobrada neste mês, permanecerá caso não haja uma melhora nas condições climáticas até o final de outubro

Nesta sexta-feira (20), o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) reduziu a previsão de chuvas nos reservatórios de hidrelétricas do Sudeste, que é a principal região produtora de energia hídrica, para 64% da média em outubro. De acordo com o relatório semanal, o ONS manteve previsão de chuvas nos reservatórios de hidrelétricas do Nordeste, que tem enfrentado uma seca severa, para 21%.

Entenda as cores das bandeiras da conta de luz:

A ANEL opera na cor de bandeira verde quando há pouca ou nenhuma necessidade de geração de energia por termelétricas, que é mais cara que a produzida pelas hidrelétricas. Quando essa necessidade aumenta, a bandeira opera na cor amarela, e passam a ser cobrados valores extras de R$ 2 dos consumidores a cada 100 kWh consumidos. Quando o custo sobe muito, a bandeira passa a operar na cor vermelha e a cobrança extra nas contas de luz varia de R$ 3 a R$ 3,50 para cada 100 kWh usados. As informações são do portal G1.

Notícias relacionadas