Brasil

Moro defende uso da delação premiada: “É uma traição entre criminosos”

À frente da Operação Lava Jato, o juiz Sérgio Moro defendeu a delação premiada, no último sábado (29), durante seminário da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), em São Paulo. “Às vezes, as únicas pessoas que podem servir como testemunhas de crimes são os próprios criminosos [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Agência Brasil

Por Bárbara Silveira no dia 30 de Agosto de 2015 ⋅ 11:27

À frente da Operação Lava Jato, o juiz Sérgio Moro defendeu a delação premiada, no último sábado (29), durante seminário da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), em São Paulo. “Às vezes, as únicas pessoas que podem servir como testemunhas de crimes são os próprios criminosos (...) É traição? É traição, mas é uma traição entre criminosos. Não se está traindo a Inconfidência Mineira, não se está traindo Resistência Francesa", opinou.

Muito usada para se conseguir informações sobre o esquema de desvio de dinheiro público da Petrobras, a delação premiada é um acordo entre a Polícia Federal, o Ministério Público e o acusado. Caso ele forneça as informações e colabore com as investigações, os réus conseguem benefícios como a redução da pena.


 

Notícias relacionadas