Brasil

Associação diz que indígena que apoiou Bolsonaro não representa etnias do Xingu

Em nota, ATIX acusa o candidato de ser ‘anti-humano’

[Associação diz que indígena que apoiou Bolsonaro não representa etnias do Xingu]
Foto : Rodrigo Vargas / Folhapress

Por Lara Ferreira no dia 28 de Outubro de 2018 ⋅ 20:30

A Associação Terra Indígena Xingu, principal grupo representativo dos índios do Parque do Xingu, em Mato Grosso, afirmou hoje (28) em nota pública que a índia que visitou o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL), na quarta-feira (24), apresentou “um falso apoio” dos índios da região e não os representa. A ATIX diz, ainda, que o candidato é “anti-humano”.
 
A entidade acusou Bolsonaro de querer “acabar com 129 processos de demarcação de terras indígenas no país, mesmo sabendo que após cinco ou dez anos da aprovação da Constituição Federal, os constituintes demarcariam todas as terras para populações indígenas do Brasil”. 
 
A nota da ATIX também reforçou as declarações gravadas em vídeo pelo cacique da etnia kalapalo, Tafukumã, e divulgadas na internet pelo site “Jornalistas Livres”. Na filmagem, o cacique questiona a Ysani “o que passou pela cabeça” dela ao se dirigir à casa de Jair Bolsonaro “e levar a mensagem como se fosse representante do povo kalapalo”
.
“Você não falou com a gente que iria apoiar Bolsonaro. Não queremos dar força ao Bolsonaro. Todos os indígenas estão contra o Bolsonaro”, disse Tafukumã. Ele disse que ela nunca discutiu o assunto com os kalapalos e a chamou de “mentirosa”. “Como você pode falar isso, se esqueceu do povo kalapalo?”, completou ele.
 
 Na terça-feira, Bolsonaro recebeu a índia Ysani Kalapalo em sua casa no Rio de Janeiro e posou para fotos e vídeos divulgados em redes sociais. O encontro foi exibido nas emissoras de televisão e a índia foi identificada como “da tribo do Xingu”. Nas filmagens, ela diz que candidato “é um guerreiro”.

Notícias relacionadas