Brasil

Dodge defende aplicar dinheiro de acordo da Petrobras com EUA em educação

Dodge defendeu também que sejam reservados recursos para eventual indenização de acionistas minoritários da Petrobras no Brasil

[Dodge defende aplicar dinheiro de acordo da Petrobras com EUA em educação]
Foto : Marcelo Camargo/Agência Brasil

Por Kamille Martinho no dia 09 de Abril de 2019 ⋅ 20:30

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, defendeu junto so Supremo Tribunal Federal (STF) ontem (8) que o dinheiro pago pela Petrobras, em um acordo firmado com os Estados Unidos, seja repassado para o Ministério da Educação.

O acordo previa que a Petrobras pagasse uma multa para encerrar investigações, nos órgãos norte-americanos, sobre irregularidades reveladas na Operação Lava Jato, além de que 80% da multa, um valor de R$ 2,567 bilhões, deveriam ser investidos pela estatal no Brasil.

O Ministério Público Federal do Paraná, responsável pela Lava Jato no estado, fechou um acordo com a Petrobras para que a verba fosse destinada a uma fundação de direito privado criada para gerir os recursos. O acordo do MPF com a Petrobras foi contestado no Supremo Tribunal Federal.

“É importante realçar que há mecanismos de ingresso desses valores no orçamento da União, em ações orçamentárias específicas e que não impliquem em transferência, direta ou indireta, para a Petrobras, como, por exemplo, ações orçamentárias a favor do Ministério da Educação, para incremento de recursos financeiros nos programas de apoio ao desenvolvimento da educação básica; apoio a infraestrutura para a educação básica, aquisição de veículos para transporte escolar da educação básica”, concluiu.

Notícias relacionadas