Cidade

Mesmo com Covid-19, festas na Bahia vendem ingressos para o réveillon

De acordo com a Secretaria de Saúde da Bahia, desde o início da pandemia foram registrados mais de 8 mil óbitos pela Covid-19 no estado, e 380.294 casos da doença foram confirmados

[Mesmo com Covid-19, festas na Bahia vendem ingressos para o réveillon]
Foto : Divulgação

Por Geovana Oliveira no dia 20 de Novembro de 2020 ⋅ 14:30

Apesar do governador Rui Costa dizer que qualquer festa com aglomeração só será realizada após a vacina contra a Covid-19, há pouco mais de um mês para o fim do ano, com registro de alta nas mortes por coronavírus em todo o país, os ingressos para festas de Réveillon na Bahia não param de vender.

No Whatsapp e no Telegram, grupos facilitam a divulgação de festas como a que acontecerá na praia de Sabaúma, em Entre Rios, na região metropolitana de Salvador. Em meio à pandemia, o evento NANÖ Réveillon oferece quatro dias de festas, com atrações que incluem o cantor Pedro Sampaio e a banda 3030.

A maior parte das festas, no entanto, se concentra no extremo-sul do estado. Só em Porto Seguro, segundo o jornal Correio, a estimativa é que ocorram pelo menos 30 eventos com mais de mil pessoas na noite da virada, e com aval de órgãos públicos do município.

Na Bahia, um decreto do governador Rui Costa só permite que eventos de até 200 pessoas sejam realizados, como ele destacou ontem (19) em publicação no Twitter. 

"Continuamos em guerra contra a Covid19. Não vamos permitir que confraternizações de final de ano tragam como consequência à Bahia uma 2ª onda da pandemia. Quero lembrar que há um decreto em vigor, válido em todos os 417 municípios, que proíbe eventos com mais de 200 pessoas.", escreveu. 

Mesmo assim, em Santa Cruz de Cabrália, na praia de Santo André, o Réveillon da Vila promete uma festa "com renomados shows nacionais e Djs de variados gêneros musicais". De modo geral, os organizadores ressaltam que serão seguidos os protocolos da pandemia, que envolvem limitação do público, distanciamento mínimo entre as pessoas, exigência de uso de máscara e disponibilidade de álcool nos banheiros.

Em Arraial d'Ajuda e em Caraíva, festas como o Verão Uíki 2021 e o Réveillon Awê também são divulgadas em grupos que compartilham eventos para o dia da virada. A maioria dos eventos, entretanto, exibe mensagem padrão afirmando que 100% do valor do ingresso será ressarcido, caso não seja possível realizar a festa por questões de saúde. 

Rui já havia declarado em outra oportunidade que sem vacina o estado não vai permitir festas de Réveillon ou carnaval. "Não haverá participação e nem consentimento nosso. Não podemos brincar com a vida alheia. As ações continuam no mesmo formato. Minha postura é pela vida humana. Não mudarei a forma de encarar a pandemia", afirmou o governador. 

De acordo com a Secretaria de Saúde da Bahia, desde o início da pandemia foram registrados mais de 8 mil óbitos pela Covid-19 no estado, e 380.294 casos da doença foram confirmados. 

Com taxa de ocupação de leitos de UTI adulto para pacientes com coronavírus de 58% e hospitais de campanha sendo fechados, resta saber se vale a pena celebrar o fim de 2020, ano que registrou tantas mortes, arriscando ainda mais vidas.

Notícias relacionadas