Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Cidade

Covid-19: prefeito diz não ver necessidade de reabrir hospital de campanha do Wet N' Wild

Em coletiva na inauguração da tenda de apoio da Unidade de Pronto Atendimento de Valéria, Bruno Reis afirmou que a capital terá 699 leitos, 20 a mais do que na primeira onda

[Covid-19: prefeito diz não ver necessidade de reabrir hospital de campanha do Wet N' Wild]
Foto : Reprodução

Por Juliana Rodrigues no dia 19 de Fevereiro de 2021 ⋅ 10:01

O prefeito de Salvador, Bruno Reis (DEM), afirmou hoje (18) que diante do aumento no número de leitos de UTI exclusivos para Covid-19 na capital baiana durante a segunda onda, não será necessário reabrir o hospital de campanha do Wet N' Wild. Em coletiva na inauguração da tenda de apoio para suporte ventilatório na Unidade de Pronto Atendimento de Valéria, o chefe do Executivo estadual disse que serão 699 leitos, 20 a mais do que em 2020. A contagem considera as 10 vagas da tenda de apoio, mas também os 20 novos leitos que deverão ser disponibilizados no Hospital Salvador, após a saída da Maternidade Climério de Oliveira, e outros abertos em parceria com o Governo do Estado.

"Com esses 10 novos leitos, estamos passando a quantidade de leitos que tínhamos no auge da primeira onda. Hoje as pessoas perguntam: a prefeitura vai reabrir leitos? Nós já reabrimos mais leitos do que nós tínhamos na primeira onda. Isso precisa ficar muito claro, porque eu vejo as pessoas perguntarem se a gente vai reabrir a tenda do Wet N' Wild. Gente, já abrimos um hospital, que foi o Santa Clara, com 30 leitos de UTI. No hospital Sagrada Família, investimos mais de R$ 1,1 milhão em reforma e abrimos 40 leitos a mais do que nós tínhamos na primeira onda, que eram vinte. Hoje são 70 leitos, que era justamente o que nós tínhamos nas tendas do Wet N' Wild. Sendo que hoje tenho estruturas físicas já montadas, que dão uma qualidade do serviço melhor, com ar-condicionado, sistema de oxigênio. (...) Nós estávamos funcionando apenas em um andar do Hospital Salvador, com 10 leitos, porque lá estava sendo ocupado pela maternidade Climério de Oliveira. Agora a Climério saiu de lá. Vamos assumir o hospital, com isso vamos abrir pelo menos mais 20 leitos", disse.

Ainda segundo Bruno Reis, a tenda de apoio da UPA de Valéria deve dar maior suporte aos pacientes que aguardam regulação para uma unidade de saúde, incluindo os que apresentam estado grave. A previsão é que a tenda funcione por pelo menos três meses, com um investimento total de mais de R$ 2 milhões.

Notícias relacionadas